Katia Abreu, a traidora de seu eleitorado, finalmente é expulsa do PMDB

A senadora Kátia Abreu é um legítimo caso de auto desperdício. Voluntariamente, ela se atirou na lata do lixo da história. Poucas vezes se viu uma personagem do mundo político trair de forma tão ostensiva e obstinada o eleitorado que a elegeu, trocando o voto liberal-conservador por um cargo no governo de Dilma Rousseff.

Não dá para compreender o que passa pela cabeça de uma figura que chegou ao Senado Federal em 2006 com o apoio do agronegócio e passou 2016 fazendo coro contra o impeachment ao lado de João Pedro Stédile, o chefão do MST.

Esta semana, Kátia Abreu foi expulsa do PMDB, no qual se filiou depois de sair do DEM e do PSD. Sua situação já era desconfortável desde antes, quando era vista como uma estrangeira por seus correligionários, e se agravou com os ataques que fez ao presidente Michel Temer. Que ela seja feliz em algum partido do campo petista, onde poderá concluir sua conversão ao esquerdismo e sepultar a carreira.

No vídeo abaixo, Katia Abreu aparece em 2010, durante a primeira eleição de Dilma, atacando a campanha petista e apoiando José Serra. Em 2011, entretanto, tornou-se aliada de Dilma e saiu do DEM:

Se você gostou deste artigo ou de outros de nossos materiais, clique no link abaixo e apoie o Lócus fazendo uma assinatura anual. Com ela você terá acesso a conteúdos exclusivos.

Previous ArticleNext Article