fbpx

As promessas (ou a falta delas) nos Planos de Governo dos candidatos a prefeito de Passo Fundo

O registro da candidatura é acompanhado de um documento com os compromissos do candidato. Saiba aqui o que cada um enviou para a Justiça Eleitoral

Desde as eleições de 2012 (por conta de uma Lei de 2009), os postulantes a cargos no Executivo devem apresentar junto ao pedido de registro da candidatura um documento no qual detalham o Plano de Governo, ainda que não exista lei que ofereça punição para quem não execute o prometido. Este documento fica publicado no site do TSE, que divulga os registros de candidatura e as contas eleitorais.

A seguir, um resumo das propostas dos sete candidatos que disputam o cargo de prefeito em Passo Fundo.

Arthur Bispo (PSTU)

O documento “Passo Fundo para os trabalhadores e a juventude – Resumo do Plano de Governo do PSTU” pede já no primeiro parágrafo a “derrubada de Bolsonaro e Mourão pela ação das massas” para sair da crise capitalista por conta da pandemia. De Passo Fundo, impulsionar lutas rumo a uma greve geral. Se nesse processo não for possível construir uma revolução socialista, vão tentar eleições gerais e a derrubada do Senado. O documento segue com considerações sobre Conselhos Populares, Frente de Obras Públicas, Moradia Popular, Transporte Público, Valorização dos Servidores, Saúde Pública, Educação Pública, Emprego e Renda, Segurança, Combate às opressões, Ecologia, Corrupção, Economia, Cultura e Lazer, Turismo, Agricultura e Finanças Públicas.

Em geral, o documento mistura considerações e atribuições de esferas superiores com locais, em um plano de governo de prefeito.

Link para o documento.

Celso Dalberto (PSOL)

O Programa “Passo Fundo pra gente” diz que o Brasil vive a crise econômica mais grave de sua história, “revelando que os muito ricos e seu sistema econômico e político -o capitalismo- não tem mais nada a oferecer para a nossa população, exceto desemprego, miséria, fome e mortes”. Depois de parágrafos com estatísticas econômicas e sociais misturadas com luta de classe, seguem apontamentos em Administração e Serviço Público, Finanças, Educação, Saúde, Transporte, Comunicação, Direito das Mulheres e dos LGBTTs, Direitos Humanos e Combate ao Racismo, Moradia, Cultura, Esporte e Lazer, Segurança, Juventude, Meio Ambiente, PCDs e  Indígena.

O PSOL promete dobrar o salário de todos os servidores e limitar o número de CCs a 30% do atual, além de encerrar privatizações, terceirizações e parcerias público-privadas.

Link para o documento.

Claudio Doro (PSC)

O “Plano de Governo – Prefeitura Municipal de Passo Fundo (2021 – 2024)” caracteriza a cidade de Passo Fundo, diz que “superar a crise” e “modernização e dinamicidade” são dois dos grandes desafios da próxima gestão e segue com 20 compromissos para Passo Fundo, com tópicos em Saúde, Educação, Economia, Segurança, Parques, Esportes, Turismo, Cultura, Habitação, Regularização Fundiária, Prefeitura nos Bairros, Calçamento, Lixo, Acolhimento Social, Efrica, Comércio Ambulante, Agronegócio, Drogas, Trânsito e Transparência.

O PSC promete uma “venda inteligente de terras públicas ocupadas, revertendo o valor arrecadado na regularização fundiária de pessoas mais carentes” e “aquisição de área para implantação de projetos habitacionais”.

Link para o documento.

Juliano Roso (PCdoB)

O “Programa de Governo Juliano e Valquíria – Bases Gerais de Orientação: Valores e Diretrizes” define valores como “princípios ético-políticos que fundam a atuação. São escolhas que dão base a todas as demais escolhas. Servem de parâmetro para avaliar o conjunto da prática” e passa a elencar os compromissos propostos, com os temas Participação Popular Democrática, Solidariedade, Ética Pública, Transparência, Criatividade, Igualdade, Diversidade, Compromisso, Responsabilidade, Valorização da Experiência. São diretrizes do Programa a Promoção do Desenvolvimento Solidário Sustentável e Solidário, Realização dos Direitos e da Justiça Social, Efetivação da Participação Cidadã e Gestão Ética e Planejamento Democrático.

O documento encerra com o aviso: “Ao cabo, cumpre esclarecer que esse documento está sendo amplamente debatido com a comunidade, e terá como produto final um plano de governo participativo, a ser concluído em 03/11/2020.”

Lucas Cidade (PSDB)

O Plano de Governo “Construindo o Futuro de Passo Fundo” promete agilidade na administração pública e investimentos conscientes na saúde, educação e infraestrutura, com cooperação entre poder público e iniciativa privada. Segue com explicações sobre os temas Desenvolvimento para Gerar Oportunidades, Qualidade de Vida para os passo-fundenses e Gestão Pública para o Bem Comum, no qual destaca “O modelo da chamada ‘Nova Administração Pública’ tem servido como base de discussão e formulação de políticas públicas para o nosso partido, o PSDB, que é reconhecido por implantar as melhores práticas de boa governança nos Estados e Municípios que governa. Não seremos exceção a esta regra, pelo contrário, vamos nos esforçar para que Passo Fundo seja um dos destaques no Brasil.”

Link para o documento.

Marcio Patussi (PDT)

O “Resumo das Principais Propostas do Plano de Governo” dos trabalhistas foca em uma nova agenda econômica e social para a cidade, destacando: “A construção de uma Agenda Econômica e Social é a idealização de um projeto que queremos compartilhar, e convidamos você para participar. Queremos não apenas cuidar e melhorar o lugar onde vivemos, mas fazer algo novo, algo inovador. Nossos princípios são em favor das famílias e dos cidadãos de Passo Fundo, com respeito, honestidade, trabalho, transparência e muita inovação na gestão”.

Os tópicos destacados são:  Oportunidade, Desburocratização, Cidadania, Saúde, Assistência Social, Cultura, Desenvolvimento Econômico, Educação, Habitação, Segurança, Esporte, Meio Ambiente, Mobilidade Urbana, Agronegócio e Cidade Inteligente (Smart Cities).

Link para o documento.

Pedro Almeida (PSB)

O Plano de Governo começa com a pergunta “Que cidade você quer?”, passando para considerações gerais sobre diálogo e debate de ideias, finalizando com a apresentação de três eixos para oportunizar o desenvolvimento de uma cidade mais humana, inclusiva e desenvolvida. São eles: Ciência, Tecnologia e Gestão Pública de Resultado, Qualidade de Vida (no qual explora os tópicos Saúde, Educação, Espaços Públicos, Longevidade, Assistência Social, Habitação, Meio Ambiente e Sustentabilidade, Mobilidade, Segurança, Cuidado com os Animais, Cultura e Economia Criativa e Esporte e Cuidado com as Pessoas) e Retomada da Economia.

O programa dos socialistas encerra com “Nosso projeto de cidade busca valorizar as pessoas, tornar a prefeitura mais responsiva, facilitar o acesso aos serviços públicos e qualificar o atendimento do cidadão e das demandas sociais. O que queremos é fazer mais com menos, amparados por uma gestão técnica, criativa e inovadora que vai impactar diretamente na vida de cada um de nós”.

Link para o documento.

As principais palavras dos planos de governo

Analisando os sete documentos em conjunto, estas são as palavras com maior ocorrência entre as promessas e “amenidades” incluídas pelos candidatos e suas equipes. Entre propostas factíveis e outras nem tanto (para pegar leve), os concorrentes querem convencer o eleitor que possuem os melhores projetos para administrar Passo Fundo até o ano de 2024, sem qualquer garantia legal da execução, apenas no “fio do bigode”.

Previous ArticleNext Article

Responder