Entre em contato

Passo Fundo

As promessas (ou a falta delas) nos Planos de Governo dos candidatos a prefeito de Passo Fundo

Publicado

on

O registro da candidatura é acompanhado de um documento com os compromissos do candidato. Saiba aqui o que cada um enviou para a Justiça Eleitoral

Desde as eleições de 2012 (por conta de uma Lei de 2009), os postulantes a cargos no Executivo devem apresentar junto ao pedido de registro da candidatura um documento no qual detalham o Plano de Governo, ainda que não exista lei que ofereça punição para quem não execute o prometido. Este documento fica publicado no site do TSE, que divulga os registros de candidatura e as contas eleitorais.

A seguir, um resumo das propostas dos sete candidatos que disputam o cargo de prefeito em Passo Fundo.

Arthur Bispo (PSTU)

O documento “Passo Fundo para os trabalhadores e a juventude – Resumo do Plano de Governo do PSTU” pede já no primeiro parágrafo a “derrubada de Bolsonaro e Mourão pela ação das massas” para sair da crise capitalista por conta da pandemia. De Passo Fundo, impulsionar lutas rumo a uma greve geral. Se nesse processo não for possível construir uma revolução socialista, vão tentar eleições gerais e a derrubada do Senado. O documento segue com considerações sobre Conselhos Populares, Frente de Obras Públicas, Moradia Popular, Transporte Público, Valorização dos Servidores, Saúde Pública, Educação Pública, Emprego e Renda, Segurança, Combate às opressões, Ecologia, Corrupção, Economia, Cultura e Lazer, Turismo, Agricultura e Finanças Públicas.

Em geral, o documento mistura considerações e atribuições de esferas superiores com locais, em um plano de governo de prefeito.

Link para o documento.

Celso Dalberto (PSOL)

O Programa “Passo Fundo pra gente” diz que o Brasil vive a crise econômica mais grave de sua história, “revelando que os muito ricos e seu sistema econômico e político -o capitalismo- não tem mais nada a oferecer para a nossa população, exceto desemprego, miséria, fome e mortes”. Depois de parágrafos com estatísticas econômicas e sociais misturadas com luta de classe, seguem apontamentos em Administração e Serviço Público, Finanças, Educação, Saúde, Transporte, Comunicação, Direito das Mulheres e dos LGBTTs, Direitos Humanos e Combate ao Racismo, Moradia, Cultura, Esporte e Lazer, Segurança, Juventude, Meio Ambiente, PCDs e  Indígena.

O PSOL promete dobrar o salário de todos os servidores e limitar o número de CCs a 30% do atual, além de encerrar privatizações, terceirizações e parcerias público-privadas.

Link para o documento.

Claudio Doro (PSC)

O “Plano de Governo – Prefeitura Municipal de Passo Fundo (2021 – 2024)” caracteriza a cidade de Passo Fundo, diz que “superar a crise” e “modernização e dinamicidade” são dois dos grandes desafios da próxima gestão e segue com 20 compromissos para Passo Fundo, com tópicos em Saúde, Educação, Economia, Segurança, Parques, Esportes, Turismo, Cultura, Habitação, Regularização Fundiária, Prefeitura nos Bairros, Calçamento, Lixo, Acolhimento Social, Efrica, Comércio Ambulante, Agronegócio, Drogas, Trânsito e Transparência.

O PSC promete uma “venda inteligente de terras públicas ocupadas, revertendo o valor arrecadado na regularização fundiária de pessoas mais carentes” e “aquisição de área para implantação de projetos habitacionais”.

Link para o documento.

Juliano Roso (PCdoB)

O “Programa de Governo Juliano e Valquíria – Bases Gerais de Orientação: Valores e Diretrizes” define valores como “princípios ético-políticos que fundam a atuação. São escolhas que dão base a todas as demais escolhas. Servem de parâmetro para avaliar o conjunto da prática” e passa a elencar os compromissos propostos, com os temas Participação Popular Democrática, Solidariedade, Ética Pública, Transparência, Criatividade, Igualdade, Diversidade, Compromisso, Responsabilidade, Valorização da Experiência. São diretrizes do Programa a Promoção do Desenvolvimento Solidário Sustentável e Solidário, Realização dos Direitos e da Justiça Social, Efetivação da Participação Cidadã e Gestão Ética e Planejamento Democrático.

O documento encerra com o aviso: “Ao cabo, cumpre esclarecer que esse documento está sendo amplamente debatido com a comunidade, e terá como produto final um plano de governo participativo, a ser concluído em 03/11/2020.”

Lucas Cidade (PSDB)

O Plano de Governo “Construindo o Futuro de Passo Fundo” promete agilidade na administração pública e investimentos conscientes na saúde, educação e infraestrutura, com cooperação entre poder público e iniciativa privada. Segue com explicações sobre os temas Desenvolvimento para Gerar Oportunidades, Qualidade de Vida para os passo-fundenses e Gestão Pública para o Bem Comum, no qual destaca “O modelo da chamada ‘Nova Administração Pública’ tem servido como base de discussão e formulação de políticas públicas para o nosso partido, o PSDB, que é reconhecido por implantar as melhores práticas de boa governança nos Estados e Municípios que governa. Não seremos exceção a esta regra, pelo contrário, vamos nos esforçar para que Passo Fundo seja um dos destaques no Brasil.”

Link para o documento.

Marcio Patussi (PDT)

O “Resumo das Principais Propostas do Plano de Governo” dos trabalhistas foca em uma nova agenda econômica e social para a cidade, destacando: “A construção de uma Agenda Econômica e Social é a idealização de um projeto que queremos compartilhar, e convidamos você para participar. Queremos não apenas cuidar e melhorar o lugar onde vivemos, mas fazer algo novo, algo inovador. Nossos princípios são em favor das famílias e dos cidadãos de Passo Fundo, com respeito, honestidade, trabalho, transparência e muita inovação na gestão”.

Os tópicos destacados são:  Oportunidade, Desburocratização, Cidadania, Saúde, Assistência Social, Cultura, Desenvolvimento Econômico, Educação, Habitação, Segurança, Esporte, Meio Ambiente, Mobilidade Urbana, Agronegócio e Cidade Inteligente (Smart Cities).

Link para o documento.

Pedro Almeida (PSB)

O Plano de Governo começa com a pergunta “Que cidade você quer?”, passando para considerações gerais sobre diálogo e debate de ideias, finalizando com a apresentação de três eixos para oportunizar o desenvolvimento de uma cidade mais humana, inclusiva e desenvolvida. São eles: Ciência, Tecnologia e Gestão Pública de Resultado, Qualidade de Vida (no qual explora os tópicos Saúde, Educação, Espaços Públicos, Longevidade, Assistência Social, Habitação, Meio Ambiente e Sustentabilidade, Mobilidade, Segurança, Cuidado com os Animais, Cultura e Economia Criativa e Esporte e Cuidado com as Pessoas) e Retomada da Economia.

O programa dos socialistas encerra com “Nosso projeto de cidade busca valorizar as pessoas, tornar a prefeitura mais responsiva, facilitar o acesso aos serviços públicos e qualificar o atendimento do cidadão e das demandas sociais. O que queremos é fazer mais com menos, amparados por uma gestão técnica, criativa e inovadora que vai impactar diretamente na vida de cada um de nós”.

Link para o documento.

As principais palavras dos planos de governo

Analisando os sete documentos em conjunto, estas são as palavras com maior ocorrência entre as promessas e “amenidades” incluídas pelos candidatos e suas equipes. Entre propostas factíveis e outras nem tanto (para pegar leve), os concorrentes querem convencer o eleitor que possuem os melhores projetos para administrar Passo Fundo até o ano de 2024, sem qualquer garantia legal da execução, apenas no “fio do bigode”.

Continue Lendo
Comentários

Passo Fundo

Jornal O Globo mentiu sobre estátua de Bolsonaro em Passo Fundo

Publicado

on

jornal o globo

Exemplo de péssimo jornalismo ajudou a criar uma fakenews que se espalhou por diversos sites da imprensa brasileira

O Brasil inteiro sabe que, na distante Passo Fundo, foi construída uma estátua do presidente Bolsonaro, “inaugurada” durante as manifestações do último 7 de Setembro. Motivo de orgulho, deboche e muita polêmica, terminadas as atividades, a obra de arte foi guardada na oficina do seu criador. Fim da história? Não.

O pátio onde está a obra é vizinho de oficinas mecânicas e de prestadores de serviço para caminhoneiros e público em geral, nas proximidades da BR 285, no bairro Valinhos. Então alguém viu a peça, imediatamente fez a foto e espalhou de alguma forma na internet. Nasce o factóide: a estátua está abandonada no lixo, no ferro-velho. Ou pior, no pátio do Detran!

O que deveria ser apenas mais uma imagem “encaminhada frequentemente” em grupos de WhatsApp virou fofoca na boca de vereador petista em Porto Alegre e depois “notícia” em um dos maiores jornais do país, O Globo.

Leonel Radde, vereador petista de Porto Alegre, espalhou a imagem de um certo Tahur Vieira. A postagem viralizou e foi parar na “grande mídia”. Radde se declara nas redes sociais como “Policial Civil Antifascista, Budista, Aikidoka e vegetariano”.

E, se “deu” no O Globo, rapidamente outros sites começam a copiar o conteúdo, muitos (como no original) sem qualquer checagem. A versão global virou “Estátua em homenagem ao presidente Bolsonaro aparece jogada em chão de depósito do Detran de Passo Fundo.”.

A fakenews dá cria

Do vereador para o Globo, e do Globo para outros canais, foi questão de horas. Abaixo, destaques em uma busca simples no Google:

 

 

A verdade é simples

 

A entrada da oficina do artesão Jorge Grigolo e seu Transformer.

A oficina e o local que foi fotografado e foi parar na internet.

A estátua, deitada, por um motivo simples: de pé, ocupa um amplo espaço, além de da necessidade de suporte e apoio de um veículo para segurança.

O detalhe da polêmica estátua, vítima de fakenews.

 

Acima: Grigolo (centro) e apoiadores ainda em julho, com a estátua sem pintura, sustentada por guindaste. O local é o mesmo da foto espalhada na internet.

 

Depois do 7 de Setembro, a estátua voltou para a oficina e de lá nunca mais saiu.

Jorge Grigolo – o autor da obra – é mecânico e tem por hobby fazer esculturas com peças metálicas e sucatas. A entrada de sua oficina é guardada por uma de suas artes, o Transformer (que também é nome da humilde oficina). Grigolo é um homem do povo, apoiador de Bolsonaro. Sua vontade de realizar algo para homenagear o presidente encontrou eco em um grupo de apoiadores locais, trabalhadores em geral, aposentados, empresários e profissionais liberais.

Do encontro, surgiu a possibilidade de “inauguração” da obra ainda inacabada nas comemorações do dia 7 de Setembro. O acontecimento foi comentado na Lócus (confira, aqui). A cabeça da estátua foi construída em uma empresa do ramo metal-mecânico com requintes técnicos, para ficar semelhante ao presidente.

Sem apuro jornalístico, a oficina virou Pátio do Detran e a mentira virou verdade, pelas mãos de um dos maiores grupos jornalísticos do país e do mundo.

Continue Lendo

Passo Fundo

O vandalismo político no abandono da Praça Marechal Floriano tem método

Publicado

on

Praça Marechal

O cartão postal da cidade de Passo Fundo vem sofrendo com ciclos de abandono e reformas superficiais para políticos fazerem fotos e mostrar serviço

A “Praça da Cuia”, principal cartão postal da cidade e que já foi até locação para filme do Teixeirinha, está (outra vez) abandonada pela Prefeitura. Essa novela vem de muito tempo e de outros governos – além do binômio Luciano-Pedro – mas tem piorado, já que muito dinheiro foi gasto neste período e a coisa continua feia. Apenas um exemplo: os bancos de concreto originais da Praça estão em melhor estado do que os moderninhos de madeira e metal colocados lá pelo Luciano.

Nós já realizamos um apanhado das barbeiragens da Prefeitura de Passo Fundo na Praça Marechal Floriano no texto Destruição da Praça da Cuia: o que você precisa saber, em abril deste ano. Na época, a população via com pavor as “reformas” que desfiguravam o calçamento com pedras portuguesas. Hoje, a comunidade novamente reclama da situação após uma postagem com 80 fotos da praça viralizar no Facebook. O álbum do usuário Marcio Raymundi Duarte tem imagens tristes sobre – palavras dele – uma Bienal dos Horrores.

 


O local sofre a ação de dois principais atores: os vândalos de fato – praticantes de todo tipo de destruição conhecida do patrimônio público – e de políticos que não são capazes de gerir as praças da cidade, colocando na mão de parceiros sem qualquer ligação profissional o gerenciamento das pastas responsáveis. Claro que não é uma regra rígida a formação em área correlata, mas espera-se o conhecimento.

Segundo o site da Prefeitura, a Secretaria de Transportes e Serviços Gerais é responsável pela manutenção das praças da cidade. Lá está escrito:

A Secretaria de Transportes e Serviços Gerais tem como atribuição a ampliação e manutenção da iluminação pública e limpeza das vias de Passo Fundo.

Atua, ainda, na administração das praças, parques e jardins, na regulação e fiscalização dos serviços do transporte público de Passo Fundo, no que diz respeito a coletivos urbanos, táxis e transporte escolar.

Também é atribuição desta Secretaria o gerenciamento dos cemitérios públicos e capelas mortuárias.

O então prefeito eleito Pedro Almeida confiou a pasta para o seu coordenador de campanha e ex-vereador do Democratas, Patric Cavalcanti. Fora da política eleitoral, Patric estava como assessor de Onyx Lorenzoni em Brasília na época da campanha de 2020. O apoio oficial foi divulgado em 6 de outubro de 2020 e o anúncio da escolha para secretário logo no início de dezembro.

Patric

Patric: Vereador, ex-vereador, assessor de ministério, secretário da prefeitura, gerente em Hospital federal da capital. Já a praça ficou sem remédio.

Em setembro, Patric deixou a secretaria e foi trabalhar em Porto Alegre, na área de materiais do Grupo Hospitalar Conceição. Em seu lugar, o prefeito colocou Alexandre Mello, advogado e… ex-chefe de gabinete do vereador Patric! Nota-se que a pasta “é do DEM” e que faltam engenheiros no partido.

A secretaria que “cuida das praças” não é a primeira e nem será a última a ser moeda de troca em apoios políticos, em Passo Fundo ou em qualquer outra cidade brasileira. Isso só vai mudar quando os eleitores pararem de dar carta branca aos candidatos a prefeito, governador ou presidente e exigir ainda durante a campanha o anúncio de nomes para as secretarias ou ministérios, com a devida declaração de competência de cada um.

 

Destruição da Praça

O remendão e as promessas: só esta “manutenção” realizada na praça em março já deveria ser atestado de incompetência e vergonha para o prefeito e subordinados. E ela está assim até hoje.

 

Além da lambança na gestão (culpa dos prefeitos), há um método nessas desgraças urbanas. Os responsáveis não dão a manutenção nos equipamentos públicos e puxam a corda até o limite. Na manutenção da obra que é de óbvia responsabilidade, divulgam o feito como se fossem heróis e salvadores do povo. Não é por nada que tantos vereadores mostram quantidades astronômicas de pedidos de providência ao Executivo como trabalhos hercúleos, ou recebem em seus gabinetes pessoas tentando um jeitinho ou intermediação para seus problemas causados pelo próprio prefeito.

Adendo

Há quem diga que a iniciativa privada pode tomar conta de importantes locais públicos. É fato, mas depende do olhar crítico da sociedade, com critério e controle. A experiência da Prefeitura com empresas para a reforma de praças aqui na cidade nem sempre dá certo, basta observar a qualidade de algumas intervenções como a realizada na Praça do HC. Longe da perfeição, este controle social do patrimônio público já foi tentado pela Associação de Moradores do Centro, a AMAC, na figura do José Rodrigo. Quase sempre sozinho ou com poucos amigos, chegou a passar algumas mãos de tinta na Cuia em tempos passados.

Continue Lendo

Passo Fundo

Homenagem a professores marca a sessão desta quarta (24)

Publicado

on

A seguir, os destaques da Sessão Plenária desta quarta-feira (24) na Câmara de Vereadores de Passo Fundo

Tribuna Popular

O espaço da Tribuna Popular foi ocupado pela representante da Associação Cultural das Mulheres Negras (ACMUN), Daniele Renata Paz, por solicitação da vereadora Regina Costa dos Santos (PDT). Nesta ocasião, a integrante da entidade abordou a importância do Dia da Consciência Negra, celebrado no último dia 20 deste mês.

Grande Expediente

Alberi Grando (MDB) prestou homenagem à classe dos professores, na oportunidade representados por alguns educadores da rede pública de ensino de Passo Fundo, municipal e estadual. Os professores homenageados que atuam na rede municipal de ensino foram: Professora Maria Ester Bevilaqua, com mais 45 anos de atuação em sala de aula; Professora Terezinha Segalin, atuando no magistério há 33 anos; Professor Cláudio Sebastião Ely, aposentado há seis meses, completou, em 2021, 17 anos de magistério na rede municipal; Professor Joaquim Damo, com 42 anos de magistério. Os professores homenageados que exercem suas atividades na rede estadual de ensino foram: Professora Ruti Inês Batistin, com 30 anos de profissão; Professor Jorge Luiz Cullmann, que está completando 45 anos de magistério; Professor André Luís Ferreira Rossi Canals, comemorando 31 anos de magistério em 2021; Professora Claudete Terezinha Dal Canton Giacomini, com 40 anos de atuação como educadora.

Comissão Especial para Revisão Normativa do Município

Discutido o Projeto de Resolução nº 14/2021, de autoria do vereador Rodinei Candeia (PSL), em que cria a Comissão Especial Mista para a Revisão Normativa do Município de Passo Fundo. O texto da matéria aponta como objetivos da comissão propor, incentivar e participar da organização de eventos, tais como seminários, audiências públicas, entre outros, que se relacionarem com a revisão normativa municipal.

Leia também:

Revisão Regimento Interno da Câmara

Também debatido o Projeto de Resolução nº 16/2021, de autoria da Mesa Diretora da Casa, em Regime de Urgência, que trata de uma revisão geral no Regimento Interno da Câmara de Vereadores. Segundo a justificativa, a matéria contém modificações, inclusões e revogações de termos visando a atualização do regulamento, para ajustá-lo à Constituição Federal e à Lei Orgânica Municipal.

Vídeo da Sessão

Continue Lendo

Assine nossa newsletter

* indicates required

Mais Acessados

Copyright © 2021. Lócus Online.