Entre em contato
o passo-fundense o passo-fundense

Passo Fundo

O passo-fundense precisa aprender a se indignar, antes que seja tarde demais

Publicado

on

Casos locais de comoção popular em crises políticas são raros. Enquanto isso, problemas crônicos da cidade passam batido e prejudicam o desenvolvimento de todos

Em 2019, a Lócus produziu um vasto material sobre o aumento do IPTU na cidade através de vídeos, textos no site e artes para as redes sociais. A cidade estava em polvorosa com a possibilidade do pagamento de altos valores do imposto e o assunto viralizou.

Para a nossa surpresa, uma das artes publicadas em nossas redes oficiais foi impressa por um cidadão e acabou nas paredes de diversos locais da cidade.

O card levava ícones com os rostos e nomes dos vereadores que votaram sim pelo aumento. Este momento transmídia entrou para a história da Lócus. Por fim, estávamos na cabeça do povo. Outros assuntos tiveram boa repercussão no site – como a novela do aeroporto ou a indústria da multa – mas o IPTU ficou em primeiro lugar.

aumento do iptu

Algumas causas são realmente mais populares, de fácil entendimento e defesa por parte da maioria das pessoas, mas não podemos esquecer que o diabo está nos detalhes e a cidade está cheia de problemas que passam batidos, seja pela falta de destaque na velha mídia tradicional (muitas vezes paga pelos culpados das mazelas públicas), seja por descrédito: o cidadão reconhece a existência do problema, mas não se vê atingido pela situação. Podemos citar alguns.

Falta de Transparência

A cidade que possui um orçamento na casa dos R$ 800 milhões não consegue prestar contas com clareza sobre onde gasta este dinheiro, em plena era da informação. Um problema casado com a pobre estrutura tecnológica que seria o canal principal para esta transparência, que, apesar de “premiada” por alguns órgãos, pouco esclarece o cidadão. O problema ficou evidente nas infrutíferas (e repetidas) vezes em que tentamos descobrir como o dinheiro da publicidade é aplicado por aqui. Mesmo com pedido de ajuda ao Ministério Público, nunca foi possível esclarecer quem (e como) leva a nossa grana para falar da Prefeitura de Passo Fundo.

Uma Câmara ineficiente

Sessões que mais parecem uma resenha dos acontecimentos nacionais sem qualquer relação com Passo Fundo, pronunciamentos ideológicos “na onda” do que se fala por aí na política e uma enxurrada de moções. Estes são alguns dos problemas da nossa Câmara, que pouco desafia o executivo com seus 21 parlamentares. O nosso “De Olho na Câmara” coleciona destaques negativos nesta questão, vale a pena conferir. Mesmo com honrosas atuações aqui e ali, o resultado final poderia ser melhor.

O urbanismo sem alma

Nossa cidade está sob o jugo de pensadores progressistas que odeiam carros, afinam avenidas por motivos mais ideológicos do que técnicos e dividem os canteiros com tubos de esgoto pintados de amarelo, desde 2013. E ainda lidamos com os esqueletos do passado: recentemente, os equivocados e caros tubos da literatura da administração Dipp começaram a receber alterações. O eterno problema do trânsito e a baixa qualidade dos serviços prestados na área de zeladoria da cidade completam o quadro.

Vejam o curioso caso do vereador trabalhista Ernesto dos Santos. Ele construiu o próprio bueiro, validou o equipamento e tentou dialogar com a Prefeitura sobre alternativas para a drenagem. Mesmo com toda a iniciativa, não conseguiu tocar pra frente a ideia. Voluntarismos à parte, o edil deveria estar cercado de um projeto, endossado pela comunidade técnica, bem apresentado e com estimativas de custo, já que estrutura para tanto existe, com gabinete e assessores.

Em suma: a cidade não tem um bom projeto para se apresentar ao mundo e aos seus, apesar da década cheia de palestras e prêmios para inglês ver. A falta de inquietação e indignação passa também pela inação de entidades representativas.

Em ano eleitoral, tudo piora

Daqui até as eleições, os grupos políticos locais vão flexionar os músculos e mostrar os dentes para promover candidaturas inócuas (aquele candidato que está ali só para marcar terreno ou servir de cabo eleitoral de luxo de políticos maiores) e corremos o risco de ver gabinetes da Câmara e salas da Prefeitura virarem centros informais de promoção dos candidatos. A estrutura, que já é deficiente, poderá ficar ainda pior.

Passo Fundo, a Capital dos Buracos (2011). Quem lembra?

Passo Fundo já se indignou em causas locais como no inesquecível episódio do vereador que mandou todo mundo socar um adesivo que protestava contra os buracos da cidade você sabe onde e na Lei imbecil que limitava o tamanho de novos empreendimentos (hipermercados). Nas duas ocasiões, um bom número de pessoas “civis”, sem o envolvimento com partidos políticos, foi protestar na Câmara.

Dez anos depois, com o boom da internet e das redes sociais acalmado por algoritmos limitadores e “censura” de conteúdo, já não é tão fácil organizar grandes eventos no ambiente virtual. Protestar está mais difícil e os problemas estão maiores, exigindo uma melhor capacidade das pessoas para apontar os dedos e tentar resolver os problemas, mudando a cidade. A Lócus tem feito a sua parte.

Continue Lendo
Comentários

Passo Fundo

“Em tempos de pandemia, IPTU vem com aumento de 10% em Passo Fundo”

Publicado

on

iptu

Tchequinho (PSC) criticou o atual prefeito pelo aumento do IPTU, discussão que já acompanha o antecessor, Luciano Azevedo. A seguir, os destaques da Sessão Plenária desta quarta-feira (01), na Câmara de Vereadores de Passo Fundo

Tribuna Popular

O engenheiro agrônomo Osvaldo Lima apresentou o projeto “Jardins das Abelhas Nativas”, por solicitação do vereador Nharam Carvalho (DEM), autor do PL nº 118/2021 que tramita na Casa Legislativa, que dispõe sobre a criação do projeto “Jardins das Abelhas Nativas” no Município. A iniciativa tem como objetivo a divulgação e conservação das abelhas nativas sem ferrão e a instalação de meliponários (colmeias de abelhas sem ferrão) em escolas, hortas comunitárias, praças, entidades públicas interessadas e outras áreas verdes localizadas dentro da cidade. A contribuição do engenheiro foi em esclarecer a importância da cultura meliponária, momento em que destacou que as abelhas são responsáveis por 75% da polinização das espécies.

Grande Expediente

Rufa (Progressistas) homenageou o senhor Eluyr José Reschke, ex-servidor da Casa Legislativa. Com 94 anos, o homenageado construiu uma bela trajetória política e social, foi vereador na 7° Legislatura da Câmara, nos anos de 1973/1977 pela Aliança Renovadora Nacional, antiga Arena. Também foi candidato a vice-prefeito com Fernando Machado Carrion, sendo posteriormente, chefe de gabinete. Como servidor da Câmara, exerceu diversas funções, no período de 1997 até 2011. Como pesquisador, deixou um legado à Casa Legislativa, um documento onde catalogou todas as leis do município, classificados por assunto, desde 1940 até 2011.

Fundo de Amparo para Mulheres Vítimas de Violência

Aprovado o Projeto de Lei Complementar (PLC) nº 12/2021, em Regime de Urgência, de autoria do Executivo, que institui o Fundo Municipal de Amparo às Mulheres Vítimas de Violência, modificando a Lei Complementar nº 234/2009, originada a partir de uma Indicação de autoria do vereador Luis Valendorf (PSDB). Segundo a justificativa, a proposição vem reforçar a rede de proteção das mulheres vítimas de violência, nos termos da Lei Federal n. 11.340, de 07 de agosto de 2006, a Lei Maria da Penha. Segundo o texto da matéria, os recursos do Fundo Municipal de Amparo às Mulheres Vítimas de Violência serão constituídos por recursos do orçamento municipal, de convênios firmados com entes públicos ou privados, destinações vindas de doações ou natureza sancionatória, receitas de aplicações financeiras, além de recursos advindos dos governos federal e estadual.

IPTU

Tchequinho (PSC) criticou o atual aumento do IPTU na cidade, que ficou em torno de 10% mais caro. Para o parlamentar, ainda em época de pandemia, a medida vem na contramão.

Vídeos da Sessão

Continue Lendo

Passo Fundo

Tchequinho critica falta de médicos na cidade. Janaína quer mais médicos para presos

Publicado

on

Embora a vereadora justifique sua indicação afirmando que o deslocamento de presidiários para atendimentos possa colocar em risco a segurança da população, é constrangedor sugerir a melhoria no atendimento do Presídio Central enquanto a população amarga, em muitas ocasiões, por horas nas filas de hospitais e postos de saúde

Na Sessão Plenária desta segunda-feira, Tchequinho (PSC) disse que foi procurado por um pai que buscou atendimento pediátrico para seu filho no Cais do Fragomeni (Cais São Cristóvão – Dr Luiz Fragomeni). Chegou no sábado à tarde, às 15h; quando eram 21h, ele ainda não havia sido atendido. Tchequinho procurou os responsáveis pelo Cais, momento em que foi informado que havia apenas um pediatra naquele dia. Na tribuna, cobrou do prefeito Pedro Almeida maior atenção à população.

Enquanto isso, na mesma Sessão, Janaína Portella (MDB) fez menção à indicação de sua autoria: INDICAÇÃO Nº 698/2021. Conforme dispõe na ementa, “sugere ao Poder Executivo Municipal que efetue a contratação de mais profissionais para atendimento na Unidade Básica de Saúde-UBS que fica no presídio regional de Passo Fundo”.

Muito embora ela tenha dito na tribuna que a medida visa, num primeiro momento, evitar o deslocamento dos presos, garantindo segurança à população ao mesmo tempo economia de recursos públicos, não é o que consta na justificativa da indicação:

Justifica-se o pedido de que sejam contratados mais profissionais para atuar na Unidade Básica de Saúde-UBS, que funciona no Presídio de Passo Fundo. Há relatos de que em razão do reduzido número de profissionais que trabalham na unidade o serviço prestado está com deficiências. Assim, requer sejam tomadas providências no sentido de que sejam contratados mais profissionais em número suficiente para suprir essa demanda.

É certo que toda a população, em algum momento, deveria ter a garantia de atendimento, o que inclui a população carcerária. No entanto, quando são inúmeros os relatos de falta de médicos nos hospitais e Cais de Passo Fundo, a indicação está longe de ser razoável.

Continue Lendo

Passo Fundo

Regina: “Burocracia é importante, mas não pode engessar”

Publicado

on

Discussão sobre mudanças no Regimento Interno marca a Sessão Plenária do dia 29 de novembro 2021 da Câmara de Vereadores de Passo Fundo

Grande Expediente

Professor Gringo (Cidadania) fez um balanço de seu mandato, destacando ações de seu gabinete, com mais de 300 proposições apresentadas, entre ofícios, Pedidos de Providências, Indicações, Projetos de Lei, Moções e outros.

Homenagem

Evandro Meireles (PTB) prestou homenagem aos 40 anos da Rádio Uirapuru de Passo Fundo.

Regimento Interno

Aprovado o Projeto de Resolução nº 15/2021, de autoria da Mesa Diretora, que tramita em Regime de Urgência, instituindo uma Comissão Especial para Atualização do Regimento Interno da Câmara de Vereadores de Passo Fundo. A Comissão Especial será composta por cinco vereadores titulares e seus respectivos suplentes. As reuniões serão semanais e o tempo de duração desta Comissão Especial será de 30 dias úteis.

Conselho Municipal de Saúde

Luis Valendorf (PSDB) informou que hoje (30) é o prazo final de inscrições de entidades interessadas em compor o Conselho Municipal de Saúde. Na oportunidade, o parlamentar ressaltou a importância da sociedade e a sua participação na composição do Conselho: “Lá é um dos canais de discussão da saúde municipal”.

Leia também: Conselho Municipal de Saúde é uma amostra de ativismo e de transgressão de competências em Passo Fundo

Saúde

Tchequinho (PSC) disse que foi procurado por um pai que buscou atendimento pediátrico para seu filho no Cais do Fragomeni (Cais São Cristóvão – Dr Luiz Fragomeni). Chegou no sábado à tarde, às 15h; quando eram 21h, ele ainda não havia sido atendido. Tchequinho procurou os responsáveis pelo Cais, momento em que foi informado que havia apenas um pediatra naquele dia.

Vídeo completo

Continue Lendo

Assine nossa newsletter

* indicates required

Mais Acessados

Copyright © 2021. Lócus Online.