Exposição do Instituto Goethe tem imagem de Jesus Cristo decapitado

Desde o último dia 22 de março, o Instituto Goethe de Porto Alegre realiza a exposição “Pixo/Grafite: Realidades Paralelas”, com “obras” de autoria dos “artistas” Rafael Augustaitiz e Amaro Abreu. O objetivo do evento é “expor face a face trabalhos que se fundamentam em diferentes concepções sobre o modo de intervenção no espaço urbano e arquitetônico”.

Segundo Laymert Garcia dos Santos, que é curador da Exposição, “o pixo de Rafael Augustaitiz é uma realidade paralela porque sua produção se apropria de São Paulo para criar uma cidade fantasma, invertida, refletida no espelho do demônio” (sic). Por sua vez, o trabalho de Amaro Abreu “filia-se à linhagem dos grafiteiros brasileiros que buscam inserir no cotidiano dos humanos não a cidade fantasmagórica, mas sim a existência diáfana de gnomos, monstros, híbridos”.

Entre as pinturas apresentadas está uma em que Jesus Cristo tem a cabeça decapitada em cima de uma bandeja. Em outra, um pentagrama com o número 666 aparece pendurado em uma parede.

É literalmente satanismo em estado de arte.

Se você gostou deste artigo ou de outros de nossos materiais, clique no link abaixo apoie Lócus fazendo uma assinatura anual. Com ela você terá acesso a conteúdos exclusivo.

Previous ArticleNext Article

Responder