Passo Fundo perde mais de um milhão de reais em repasses por culpa da Secretaria de Saúde

O vereador Rufa usou a tribuna durante a Sessão Plenária de 10/12/2018 para criticar a situação dos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) de Passo Fundo. 

Na tribuna, Rufa informou que foi publicado no Diário Oficial da União a suspensão de recursos destinados aos CAPS de várias cidades. Veja:

PORTARIA Nº 3.659, DE 14 DE NOVEMBRO DE 2018: Suspende o repasse do recurso financeiro destinado ao incentivo de custeio mensal de Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), Serviços Residenciais Terapêuticos (SRT), Unidades de Acolhimento (UA) e de Leitos de Saúde Mental em Hospital Geral, integrantes da Rede de Atenção Psicossocial (RAPS), por ausência de registros de procedimentos nos sistemas de informação do SUS. (Publicado em: 16/11/2018 | Edição: 220 | Seção: 1 | Página: 87 Órgão: Ministério da Saúde/Gabinete do Ministro)

 

No total, conforme consta no DOU, o município de Passo Fundo deixou de receber R$ 1.259.955,00. Conforme consta no documento:

Art. 1º Ficam suspensos os repasses dos recursos financeiros destinados ao incentivo de custeio mensal dos componentes da Rede de Atenção Psicossocial, conforme anexo a esta Portaria.

§ 1° O reestabelecimento do repasse do incentivo financeiro de custeio suspenso estará condicionado à regularização do registro da produção dos sistemas de informação em saúde dos estabelecimentos da Rede de Atenção Psicossocial.

§ 2° A não regularização no prazo de até 6 meses, a contar da data de publicação desta Portaria, acarretará na revogação das Portarias de habilitação e qualificação.

De acordo com Rufa, a suspensão foi motivada pelo fato de o Município “não ter informado ao SUS os procedimentos realizados para a comprovação dos atendimentos”. Em visita aos CAPS, o vereador foi comunicado pelos responsáveis que as informações foram repassadas à Secretaria de Saúde, sendo que esta não encaminhou as informações para o Governo Federal. 

Acompanhe, a seguir, o vídeo com o trecho da fala do vereador:

 

“O Prefeito cuida tanto da troca de partido, mas deveria cuidar da sua gestão”, disse Rufa. Patussi fez uso do aparte relatando que não é a primeira vez que isso acontece: “Isso é inadmissível”, destacou. Patussi disse ainda que o responsável pela Secretaria deve ser ouvido o mais breve possível, pois muitas notícias desagradáveis vêm desse setor: “Se [a Secretaria da Saúde] está dispensando dinheiro, é sinal de uma má gestão”. 

Previous ArticleNext Article

Responder