fbpx

Confira os milhões pagos aos deputados gaúchos pelo “uso de veículo particular” em 2019

Deputados viajam pelo Rio Grande e recebem valores por km rodado como indenização, que cobre de gasolina até lavagem veicular

Segundo o Portal Transparência RS, os pagamentos referentes a indenização pelo uso de veículo particular no Poder Legislativo atingiram a marca de R$ 3,9 milhões em 2019 pagos e R$ 4,9 milhões empenhados.

Como não há dispositivo claro que explique a razão da diferença de R$ 1 milhão entre o que já foi pago e o que foi empenhado ainda em fevereiro de 2020 (nosso levantamento foi realizado no dia 7) vamos mostrar no pago, já que algo poderá ser estornado.

Diferente de outras épocas quando um valor por km rodado era arbitrado pela Assembleia Legislativa, resoluções criaram um complicado cálculo para definir o valor a ser indenizado ao deputado que inclui variáveis como depreciação, juros, idade do veículo, custos com licenciamento, seguro, lubrificante, pneus, filtros, pedágios, gasolina e até lavagem. Neste link você pode acessar a Resolução de Mesa N. 1515/2017.

Os valores pagos em 2019

Os líderes em indenização por uso de veículo particular na Assembleia Legislativa no ano de 2019: o petista Valdeci de Oliveira é o campeão, com R$ 126 mil. A vice fica com o também petista Luiz Fernando Mainardi, com R$ 122 mil. Em terceiro lugar vem o tucano Pedro Ozório Pereira, com R$ 120 mil. Nosso representante no parlamento gaúcho, Mateus Wesp (PSDB) recebeu R$ 84 mil.

Os 20 deputados (de 81 favorecidos*) no topo das indenizações receberam 53,6% dos pagamentos.

Deputados já sem mandato ainda aparecem na lista de pagamentos referente ao ano de 2019: nosso representante anterior, Juliano Roso (PCdoB) recebeu por viagens do passado quase R$ 24 mil.

O ano de 2020 já tem pagamentos

O Portal também mostra o valor de R$ 298 mil em indenizações pagas em 2020, até 7 de fevereiro.

Os 30 primeiros em indenizações no ano de 2020: no topo, Luiz Augusto Lara (PTB) com R$ 13 mil, seguido por Pedro Ozório Pereira (PSDB) com R$ 10 mil e o deputado passo-fundense Mateus Wesp (PSDB), com R$ 10 mil.

Como é na iniciativa privada

Na maioria dos casos, empresas privadas pagam um valor fixo por km rodado para os funcionários que executam serviços usando carro próprio. Conforme o site do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região, o Banco Bradesco pagava em 2019 o valor de R$ 0,87.

Se os nossos funcionários da Assembleia recebessem estes mesmos 87 centavos por km rodado, os R$ 3,9 milhões pagos em 2019 seriam equivalentes a 4,5 milhões de km rodados. Seis viagens de ida e volta até a lua, ou 3.214 viagens também de ida e volta de Porto Alegre até Barra do Quaraí (cidade mais distante da capital) – se você quiser números mais locais.

Em 2020, monitore o seu deputado

Em ano eleitoral, é bom monitorar os gastos dos deputados com diárias e deslocamentos dentro do Rio Grande do Sul. A linha entre trabalho real do representante e divulgação direta ou indireta de candidatos parceiros nas cidades é muito tênue. Agora que você já sabe o perfil do gasto no ano de 2019, fique de olho nas variações.

* A Assembleia Legislativa tem 55 deputados, mas 81 favorecidos receberam valores: são políticos com mandato na legislatura anterior e com saldo quitado apenas em 2019.

 

Previous ArticleNext Article

Responder