Entre em contato

Geral

Ignorem Marilena Chauí: O manual brasileiro para desperdiçar energia com discussões sem resultado

Publicado

on

Marilena Chauí

Por favor, ignorem Marilena Chauí, ou “O manual brasileiro para desperdiçar energia com discussões sem resultado”

Em recente entrevista ao canal de Youtube “Nocaute TV”, a já conhecida filósofa Marilena Chauí fez algumas alegações que beiram o abismo da insanidade. “O Juiz Sérgio Moro é um homem treinado pelo FBI”, “A Lava Jato é o prelúdio de destruição da soberania brasileira para os séculos 21 e 22”.

Um grande questionamento é saber com qual embasamento Marilena tira estas conclusões, especialmente visto que Sérgio Moro é Juiz Federal desde 1999. Sendo funcionário público, seria bastante complicado um treinamento americano dentro de sua rotina, que já contempla uma agenda bastante cheia. Ademais, é bastante difícil associar uma investigação sobre corrupção feita pela polícia federal à uma estratégia de dominação estrangeira… mas vá entender.

Até aí, tudo bem. Marilena está no seu livre direito de se expressar, o que deve ser totalmente respeitado. Mas, fato preocupante, no momento seguinte começaram a pipocar matérias em todos os sites, portais, páginas de Facebook e canais de Youtube comentando a bizarra entrevista, em todas as correntes de pensamentos: liberais, conservadores e esquerdistas, todos em polvorosa. Uma pesquisa rápida no Google retornou 21000 resultados, estando inclusos alguns os maiores portais de notícias do país, como Folha de SP, Estadão, Extra, O Globo, o portal liberal “ILISP” e o site governista “Brasil 247”.

Vendo desta forma, esta entrevista é algo muito relevante, certo? Grande, grande erro: o que Marilena Chauí fala ou deixa de falar é (ou deveria ser) tratado como insignificante. Você poderia perguntar “por quê?”. Bom, vamos dar alguns exemplos, algumas citações da própria intelectual com os quais podemos chegar  à essa conclusão:

Quando Lula fala, o MUNDO se ilumina” – Em Declaração à Folha de SP, 2013

“É porque eu odeio a classe média. A classe média é um atraso de vida. A classe média é a estupidez. É o que tem de reacionário, conservador, ignorante, petulante, arrogante, terrorista…” – Em lançamento de livro de Emir Sader, 2013

Se não devemos levar à sério pérolas deste calibre, porque deveríamos dar atenção ao restante? Prossigo portanto, com um singelo pedido: Não dêem a Marilena Chauí uma importância que ela não tem. É uma perda de energia enorme discutir este tipo de afirmação, sem nenhuma base na realidade.

Há problemas muito maiores a se resolver, que não recebem nem metade da importância das mídias, sejam elas quais forem. No ranking mundial da corrupção, o Brasil está na posição 76 entre 168 países. Pagamos 37% de imposto ao ano, com retorno de péssima qualidade. Estados como Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro estão indo à bancarrota sem nenhuma ajuda do governo, enquanto este perdoa dívidas de quase 1 bilhão de ditaduras africanas.

A máquina pública brasileira é uma das mais caras do mundo, gastando (ou desperdiçando, dependendo do ponto de vista) R$ 31,6 bilhões ao ano. Sim, este é o valor gasto anualmente apenas para manter Brasília funcionando! Quer dizer, “funcionando” não seria o termo correto… mas isto fica para outra análise. O fato é que todos estes problemas podem ser atenuados ou resolvidos. Desde que classe política, mídia e povo se unam para resolvê-los, uma vez entendendo a importância dos mesmos.

A conclusão é de que toda esta energia despendida, tanto da mídia, quanto dos políticos, intelectuais e do próprio povo, deveria ser colocada não sobre declarações polêmicas e suas consequências mínimas para a política atual. Ela pode e deve ser melhor aplicada, para que o país retome o rumo da prosperidade.

Continue Lendo

Copyright © 2021. Lócus Online.