Passo Fundo é uma cidade segura?

Necessidade de policiamento ostensivo em Passo Fundo foi assunto de Ronaldo Rosa no seu Grande Expediente

Ronaldo Rosa, fazendo uso da tribuna como Orador do Grande Expediente, relatou encontro com o Comandante do 3º Regimento de Polícia Montada (RPMon), Tenente Coronel Volnei Ceolin, e o Chefe de Operações, Capitão Diogo Franco, sobre as reivindicações na área da segurança pública em Passo Fundo.

Para o parlamentar, o assunto merece ser discutido não só pelos problemas na segurança já conhecidos pela população, mas sobretudo pelo fato de a campanha presidencial de Jair Bolsonaro ter feito promessas consistentes de combate ao crime e outros delitos comuns.

Ronaldo abordou dois temas principais. O primeiro está relacionado com o problema do consumo de bebidas alcoólicas em lugares públicos no Município. Em outras sessões plenárias, parlamentares relataram os mesmos problemas relacionados ao descumprimento das leis que tratam dessa matéria.

O segundo tema está relacionado com o Parque da Gare. Conforme relatos de vigilantes, o local tem sido utilizado para consumo de drogas, violência contra animais e outros ilícitos. Ronaldo justificou que a necessidade de maior policiamento sobre o parque é devido ao número de pessoas que circulam no local com a chegada do Verão.

Com relação ao consumo de alcoólicos, o Comandante Ceolin explicou que a legislação municipal não dá competência à Brigada Militar, que atua em apoio quando solicitado pelo órgão municipal responsável pela fiscalização e aplicação da infração administrativa (que não é penal). Ainda, admitiu as limitações pela deficiência de efetivo para estar permanentemente nas praças. Entretanto, afirmou que os policiais da Brigada Militar estão preocupados e desenvolvem operações que possam oferecer paz e tranquilidade para a população.

O Comandante destacou que a população precisa redobrar o cuidado com a própria segurança, agindo preventivamente. Atitudes como não caminhar ostentando celular e outros objetos de valor e redobrar a atenção ao entrar e sair de veículos são muito importantes e podem evitar uma série de incidentes.

Conforme dados informados pela Brigada, nos 22 municípios de abrangência do 3º RPMon, seria necessário um efetivo em torno de 600 servidores para atender a todas as demandas. No entanto, há somente 280 policiais.

O vereador Renato Tiecher fez uso do aparte para lembrar que a lei que proíbe o consumo de bebidas alcoólicas em locais públicos é de sua autoria. Mesmo assim, destacou que é deficiente quanto ao cumprimento. Lembrou, entretanto, que no momento em que levou o Projeto ao Plenário, foi com o amparo não só da Brigada, mas do Ministério Público e outros órgãos que cobravam que medidas legais fossem aprovadas. Para ele, o problema não é o consumo em si, mas o comportamento daqueles que se excedem. 

O vereador Alex Necker também fez uso do aparte explicando que, em audiência pública que antecedeu a aprovação da Lei, o então comandante da Brigada disse que a mesma bastava para que pudessem agir diante dos infratores. Entretanto, recordou que na época foi mencionado que seria de difícil cumprimento. Para o vereador, um trabalho educativo é mais eficaz a longo prazo.

Veja a seguir o vídeo do Grande Expediente do vereador, que ocorreu durante a Sessão Plenária do dia 31/10/2018:

Previous ArticleNext Article

Responder