A Câmara de Vereadores de Passo Fundo está torrando nosso dinheiro em comerciais de TV

Câmara

Inserções da Câmara na programação da RBS estão chamando atenção pelo conteúdo e gerando dúvidas sobre a necessidade desse gasto

Assim como a Prefeitura de Passo Fundo, a Câmara de Vereadores gasta muito dinheiro com a comunicação e publicidade na cidade. Além de possuir uma estrutura terceirizada para a manutenção da TV Câmara, mantém um contrato para serviços de publicidade com a agência Referência Comunicação e Marketing, de Passo Fundo, com um gasto definido em R$ 300 mil por ano.

Ainda existe o plano antigo para a implantação de um canal de TV para a Câmara, como exploramos no artigo A Câmara de Vereadores tenta, desde 2013, ter um canal de TV aberta em Passo Fundo. Você sabe o que isto significa? de outubro de 2016.

Quem costuma assistir à RBS, especialmente na hora do almoço, já deve ter testemunhado inserções da Câmara no intervalo comercial em um dos horários mais caros da emissora. Um espaço que, segundo a tabela da RBS, fica por nada mais nada menos do que R$ 1750,00 segundo a tabela abaixo (valores de outubro de 2018):

Tabela de preços da RBS. O Jornal do Almoço é oferecido como “Praça TV 1a Edição”.Tudo para dizer que a “Casa do Povo” está firme e atuante na defesa da população, com cenas de pessoas felizes passeando pela cidade e frequentando as sessões da Casa. Uma peça de ficção, já que a lotação do auditório, exceto em casos polêmicos, junta poucos interessados e o público por lá é formado nos dias normais por assessores e partidários dos vereadores.

Mesmo no mundo online, o conteúdo da Câmara não parece ser muito atraente. Os vídeos no canal oficial do Youtube costumam amargar menos de 20 visualizações durante semanas. Tanto a falta de cultura do acompanhamento das sessões na própria Câmara quanto o baixo interesse online mostram que o gasto elevado com publicidade e anúncios de TV não estão surtindo efeito. É um exagero que precisa ser revisto. É o tipo de prática que anula o já tradicional discurso que exalta a economia da casa legislativa, quando parte do orçamento destinado à manutenção dos 21 vereadores é devolvida para a Prefeitura.

O contrato entre a Câmara de Vereadores de Passo Fundo e a agência de publicidade encerra em 28 de março de 2019. Pelo bem do interesse público, a Casa deveria vir a público com uma maior transparência deste gasto, exibindo planilhas de exibição e execução em rádio e TV das peças criadas, os custos de produção e demais informações para que, juntamente com a população, decida o melhor destino para as verbas publicitárias, bem como o seu valor correto. Afinal, Câmara de Vereadores é um produto sem concorrência.

Previous ArticleNext Article

Responder