Manifestantes lotam a Câmara de Vereadores para protestar contra os cortes na Educação

Manifestantes na Sessão Plenária do dia 15/05/2019. Imagem: Bob

Acompanhe, a seguir, o resumo da Sessão Plenária do dia 15/05/2019 da Câmara de Vereadores de Passo Fundo, data que marcou a mobilização nacional contra os cortes na Educação pelo Governo Federal.

Tribuna Popular

O espaço da Tribuna Popular foi ocupado pela dirigente do Centro Municipal de Professores de Passo Fundo (CMP/Sindicato), Regina Costa dos Santos, solicitado pelo vereador Alex Necker (PCdoB).

No dia marcado pela Greve Nacional da Educação, a sindicalista criticou a Reforma da Previdência e os cortes orçamentários do Governo Federal na Educação.

A entidade, na ocasião, entregou aos vereadores uma Carta Aberta com o posicionamento dos professores municipais, estaduais, estudantes, outros sindicatos, organizações e instituições ligadas ao setor.

Grande Expediente

O vereador Pedro Daneli (PPS) foi o orador do Grande Expediente, momento em que, além dos projetos de sua autoria, falou sobre a Reforma da Previdência que está sendo articulada pelo atual Governo, além dos cortes na Educação.

Governo Bolsonaro

Tchequinho (PSL) lamentou que numa plateia formada por estudantes e professores tenham tantos críticos ao atual governo, que está tentando melhorar a situação do país. Para ele, os seis últimos presidentes estão envolvidos em processos e denúncias por irregularidades; agora, que há um presidente honesto, muitos atacam sua gestão. Na ocasião, o parlamentar foi constantemente interrompido pela plateia.

Marcio Patussi (PDT) usou a Tribuna para atacar o Governo Bolsonaro, mostrando preocupação com os cortes na Educação, elogiando a fala da sindicalista do CMP Sindicato.

Ronaldo Rosa (SD), em aliança com o comunista Alex Necker, se disse a favor da Moção de repúdio aos cortes na Educação. Além disso, disse ser contrário à Reforma da Previdência, pois irá prejudicar os mais necessitados. O vereador Eloí da Costa (MDB), no mesmo sentido, disse que apoia a Moção de Alex, pois, de acordo com suas palavras, “não existe país que cresça sem educação”. Para ele, a causa dos professores é nobre e deve ser apoiada. Para Gleison (PSB), o corte trata-se de “uma brincadeira de mau gosto” do atual Governo. 

Patric Cavalcanti (DEM) lembrou na tribuna dos cortes na educação e na saúde realizados pelo Governo Dilma. Só em 2016, a redução foi  de R$ 21,2 bilhões. Para ele, é contraditório o que a esquerda tem feito nas ruas atualmente. 

 

Previous ArticleNext Article

Responder