Resumo da Sessão Plenária de 19/06/2019

A seguir, os destaques da Sessão Plenária da Câmara de Vereadores de Passo Fundo.

Grande Expediente

Rufa (PP) prestou homenagem à Sociedade Passofundense de Criadores de Canários (SPCC), que completou 50 anos de fundação em janeiro deste ano. 

A instituição foi decretada de utilidade pública pela Lei Municipal nº 1.126 de 15/11/1971, proposta apresentada, à época, pelo então vereador e atual presidente de honra da SPCC, Augusto Pigosso Homrich. Ela participa anualmente de eventos como a Copa Gloster, o Campeonato Gaúcho de Porte, o Campeonato Estadual de Canários do Rio Grande do Sul, o Campeonato Brasileiro de Ornitologia Amadora, a Copa Brasil Soco de Canários de Cor.

Eleições 2020

Ronaldo Rosa (SD) lembrou que as eleições municipais estão próximas e convidou os interessados a conhecer o seu partido, o Solidariedade, para quem sabe pleitear candidatura. Conforme destacou, de acordo com as novas regras eleitorais, até os partidos menores poderão concorrer de forma mais justa com os maiores.

Armas

Tchequinho (PSL) lamentou decisão do Senado Federal que anula o Decreto das Armas de Jair Bolsonaro. Valdo (PSB), no mesmo sentido, criticou os ataques ao atual governo, que precisa de tempo para poder trabalhar. Para os parlamentares, é essencial o Decreto para a proteção pessoal e das famílias. 

Dalla Lana (PTB) destacou a necessidade que os caminhoneiros têm de se armar, pois são constantemente alvos de roubos de cargas. Para o vereador, isso daria não só mais segurança como maior tranquilidade para a categoria. 

Lembrando que o Senado rejeitou nesta terça-feira (18) um decreto assinado em maio pelo presidente Jair Bolsonaro, que busca flexibilizar a posse e o porte de armas no Brasil. Fora 47 votos contrários ao “decreto das armas” contra 28 favoráveis. Portanto, o Plenário aprovou o projeto de decreto legislativo (PDL 233/2019), de autoria do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), que torna sem efeito o regulamento. Outros seis projetos de decreto legislativo estavam apensados a PDL 233/2019 e foram arquivados, todos contrários ao decreto que regulamentava o Estatuto do Desarmamento (Lei 10.826, de 2003). O PDL segue agora para votação na Câmara dos Deputados.

Moro

Alex Necker (PCdoB) voltou a atacar o ministro Sergio Moro pelas recentes denúncias. Para ele, seu julgamento na Lava Jato foi parcial e que ele não possui condições morais para seguir no cargo. 

O vereador Luiz Miguel (PDT) disse que as falas que foram divulgadas são apenas conversas de como combater ainda mais a corrupção. Para ele, policial aposentado, não houve qualquer irregularidade entre os membros do Poder Judiciário. Ainda, comentou que os diálogos são completamente diferente daqueles interceptados da cúpula do PT, que discutiam corrupção, distribuição de propina, entre outros crimes. “Como policial, não vi nada de errado, mas apenas a forma de manter ainda mais os ladrões na cadeia”, apontou. 

Patric Cavalcanti (DEM) comentou que também não viu anormalidade na troca de mensagens, que isso é natural entre profissionais das mais diversas áreas. Além disso, as condenações que Moro sentenciou foram confirmadas pelos tribunais superiores, muitas das quais até agravadas foram. 

Previous ArticleNext Article

Responder