Entre em contato

Passo Fundo

O “custo por voto” dos vereadores nas eleições de 2016 em Passo Fundo

Publicado

on

custo por voto

Saiba quem foram os candidatos eleitos que mais gastaram na campanha eleitoral, no geral e “por eleitor”, no último pleito em 2016

As campanhas eleitorais custam dinheiro. Propaganda, bandeiras, santinhos e muita gasolina são gastos que percorrem os bairros para a tentativa de conquistar o voto dos eleitores.

Os candidatos usam recursos próprios e de doações de pessoas físicas e dos partidos nos quais são filiados. O dinheiro recebido e as despesas são declaradas para a Justiça Eleitoral e as chamadas “contas do candidato” são julgadas aprovadas, aprovadas com ressalvas ou irregulares.

A Lócus fez um levantamento dos gastos na campanha eleitoral dos vereadores eleitos em Passo Fundo em 2016, com a adição do suplente João dos Santos (PSDB), que assumiu a vereança em 2019 por conta da eleição do então vereador Mateus Wesp, também do PSDB, como deputado estadual.

Os mais votados:

Mateus Wesp (PSDB) foi o vereador mais votado em 2016, com 2.710 votos. No outro extremo, Alex Necker (PCdoB) garantiu uma vaga com apenas 1.051 eleitores. O comparecimento nas eleições proporcionais foi de 119.412 eleitores. Destes, 5.788 votaram em branco e 2.788 nulo. Os 257 candidatos a vereador aptos receberam 110.836 votos.

A soma dos votos dos eleitos (mais o suplente João dos Santos) é de 40.114. Isso significa dizer que a atual composição da Câmara de Vereadores de Passo Fundo representa apenas 36,2% dos eleitores votantes da cidade.

Os que mais arrecadaram:

Ranking da arrecadação: Paulo Neckle (MDB) arrecadou R$ 57 mil para a campanha, ficando no topo. Evandro Meirelles (PTB) ficou em último lugar, com R$ 5 mil.

Os que mais gastaram:

Valdo (PSB) foi o candidato que mais gastou em 2016: R$ 28 mil contra R$ 4 mil de Evandro Meirelles (PTB), o mais econômico. Nas eleições de 2016, o limite legal de gastos para os candidatos ao cargo de vereador foi de R$ 85.602,56.

O custo por voto:

Índice da eficácia dos gastos, o custo por voto mede – como o próprio nome diz – quanto cada candidato acabou gastando em campanha eleitoral por cada voto recebido na urna. Rafael Colussi (DEM) foi o candidato eleito com melhor desempenho neste ponto, gastando apenas R$ 2,79 por eleitor. Para Valdo (PSB) foi mais sofrido: o candidato gastou R$ 22,88 por voto.

Os dados aqui utilizados são do TRE (Resultados) das eleições 2016 e do sistema de Divulgação de Candidaturas e Contas Eleitorais, do TSE.

 

Copyright © 2021. Lócus Online.