Destaques da Sessão Plenária de 02/03/2020

A seguir, acompanhe o resumo da Sessão Plenária de 02/03/2020 da Câmara de Vereadores de Passo Fundo.

Grande Expediente

Na tribuna, Luiz Miguel Scheis (PDT) realizou seu grande expediente com variedade de temas. Homenagem às escolas de samba da cidade, IPTU, Codepas, emendas impositivas, videomonitoramento, entre outros assuntos compuseram a fala do parlamentar.

Como também mencionado na Sessão passada, Scheis criticou duramente a postura do prefeito Luciano Azevedo (PSB), que recentemente utilizou sua rede social para convocar possíveis candidatos a vereador a contatá-lo para participar do pleito eleitoral deste ano. Para Scheis, o fato de estar escrito “Quer ser vereador?” na publicação dá a entender que o Prefeito pode garantir vitória de seus aliados políticos.

IPTU

João dos Santos (PSDB) saiu em defesa do recente aumento do IPTU na cidade. Para ele, alguns proprietários pagavam uma quantia irrisória. Há dois projetos na Casa, um de autoria do Poder Executivo Municipal e outro do vereador Tchêquinho, que propõem a redução do valor do IPTU. Para João dos Santos, isso mostra “boa vontade” do Prefeito em corrigir os erros.

PEC Anti-Mourão

Pedro Daneli (Cidadania) criticou a proposta de emeda constitucional do dep. Henrique Fontana (PT-RS) para que, sempre que o mandato presidencial for interrompido em definitivo por qualquer razão, convoque-se eleições diretas. Já está sendo chamada de PEC “Anti-Mourão”. A proposta valerá também para os cargos de governador e prefeito. Para Daneli, propostas dessa envergadura são meramente políticas e não colaboram em nada com o Brasil.

Aumento das passagens

O recente anúncio de aumento nos valores das passagens municipais permeou o discurso dos parlamentares ao longo da Sessão. Gleison (PSB) disse que, embora a Casa não possa votar ou evitar o aumento, procurou a Procuradoria para buscar uma solução: “De dois em dois meses está ocorrendo esse aumento abusivo de passagens. Isso é inadmissível”, apontou.

Exames toxicológicos 

De autoria do vereador Ronaldo Rosa (SD), foi discutido a proposta que determina a realização obrigatória de exame toxicológico anual em motoristas de táxi e aplicativos que trabalham no Município. Segundo a justificativa da matéria, o requisito deste exame é importante para detectar a ingestão ou exposição a drogas ou outras substâncias intoxicantes.

 

Previous ArticleNext Article

Responder