fbpx

Coronavírus: como estão as cidades similares a Passo Fundo em casos e mortes por COVID-19

similares a passo fundo

Elaboramos um ranking de 21 municípios brasileiros com características populacionais similares às de Passo Fundo. As diferenças são impressionantes

A pandemia do coronavírus gerou uma corrida ao jogo matemático da interpretação de números e comparações entre países, seus métodos e resultados, sempre defendidas com veemência para apoiar esta ou aquela linha de pensamento.

Estas comparações nem sempre são justas, seja na confusão entre números absolutos e relativos, seja por diferenças sérias no objeto a ser analisado. Não há como comparar confortavelmente suecos com brasileiros, regiões pobres com regiões ricas e até mesmo populações com nível educacional, histórico e perfil genético diferente.

Números de países e estados – exceto por alguma decisão muito extraordinária nas questões de fronteiras -, só servem para tentar agrupar uma adoção de política de combate ao vírus usando linhas imaginárias que a biologia não respeita. Os aglomerados urbanos ou cidades mostram uma realidade muito mais tangível, ainda que distante da perfeição. Esta é a proposta neste artigo.

Listamos 10 cidades maiores e 10 cidades menores que Passo Fundo em população, criando um ranking de 21 municípios para observar como se comportaram os números do coronavírus nestas regiões (casos e mortes) em dois momentos: 25 de maio e 5 de julho de 2020. Os dados são dos sites dedicados criados pelos estados.

As 21 cidades do ranking, em ordem decrescente de população. Passo Fundo teve a menor variação percentual nas cidades com mortes no período analisado (53,33%).

As cidades com população maior que Passo Fundo são Águas Lindas de Goiás (GO), Rio Grande (RS), Alvorada (RS), Cachoeiro do Itapemirim (ES), Sobral (CE), Luziânia (GO), Parauapebas (PA), Cabo de Santo Agostinho (PE), Rio Claro (SP) e Angra dos Reis (RJ). As menores são Castanhal (PA), Lauro de Freitas (BA), Araçatuba (SP), Ferraz de Vasconcelos (SP), Santa Bárbara D’este (SP), Nova Friburgo (RJ), Barra Mansa (RJ), Nossa Senhora do Socorro (SE), Teresópolis (RJ) e Guarapuava (PR).

No ranking das 21 cidades, Passo Fundo fica em décimo lugar (46 mortes), com a liderança ocupada pela cearense Sobral (246) e um distante segundo lugar de Castanhal (PA) com 171. Cabo de Santo Agostinho (PE) com 165 e Parauapebas (PA) com 127 encerram a série de municípios da lista com mais de 100 óbitos.

Alguns índices conhecidos foram adicionados a cada município como área, PIB per capita, IDHM (Índice de Desenvolvimento Humano Municipal), Índice GINI, percentual da população acima de 62 anos e quantidade de leitos hospitalares (geral).


Passo Fundo tem destaque positivo na lista em números de leitos disponíveis muito superior aos outros municípios (1166), é o quarto IDHM (0,776) e a sexta renda per capita (R$ 42.183,62). Nosso índice GINI é o décimo-terceiro.

As cidades e suas localizações


Acima: localização das cidades no mapa do Brasil.

A proximidade de algumas cidades com grandes centros e as capitais de seus respectivos estados prejudica uma comparação mais justa. Quase a totalidade das cidades do nordeste e centro-oeste estão nesta situação. Alvorada, colada em Porto Alegre, também.

Nos limites, a cearense Sobral com suas 246 mortes e Guarapuava com apenas duas. Acredita-se que hoje o Ceará é destaque em casos e mortes por conta do aeroporto de Fortaleza ser um hub para voos internacionais, recebendo um forte múltiplo bombardeio de infectados.

Guarapuava, no Paraná, é uma cidade muito parecida com Passo Fundo em características geográficas, isolamento e liderança de uma região do estado e diversas rodovias cortando a cidade.

Passo Fundo (RS) e Guarapuava (PR): os círculos amarelos na imagem possuem 8 km de raio, evidenciando a similaridade urbana das duas cidades.

As autoridades paranaenses atribuem os baixos números em Guarapuava ao cuidado especial com a atenção básica. Nós conversamos com uma representante da secretaria de saúde do município e ela explicou, orgulhosa, que a cidade conta com 33 pontos de atendimento (não concentraram os pacientes em um único ponto), tem uma central de teleatendimento que já atendeu 7.000 pessoas desde o lançamento que detecta, isola no domicílio e acompanha todas as pessoas que procuram atendimento. A questão tão polêmica dos remédios foi resumida com “os médicos possuem total liberdade para administrar a medicação que achar correta, em acordo com o paciente”.

Não existe medo de atendimento em Guarapuava. Se uma gestante precisa ir ao médico, a central agenda a consulta em um horário determinado sem pacientes com suspeita de COVID-19 ou doenças respiratórias.

O site da prefeitura tem informações claras, com diversos documentos, incluindo orientações para protocolo, plano de ação e nomes dos responsáveis pelas decisões no âmbito do coronavírus.

Contudo, ainda o acaso

Apesar das diferenças geográficas entre cidades e de como as estruturas físicas, capital humano, cultura de saúde e estratégias, há que se observar o acaso. Lidamos com um inimigo invisível e não há como saber com precisão se as comunidades enfrentaram esta crise partindo de um único paciente infectado ou receberam ataques múltiplos, diferenciando em muito os resultados.

 


Prefeito Luciano Azevedo: no espólio político das duas campanhas vitoriosas, a saúde ficou na mão dos comunistas do PCdoB.

Talvez esteja mesmo na bem montada atenção básica e na rápida identificação e isolamento dos suspeitos a fórmula de sucesso para prefeitos lidarem com esta pandemia. As autoridades locais deveriam olhar com atenção o caso de Guarapuava, a campeã da nossa lista.

Veja também: Prefeito Luciano argumenta “medo de corrupção” para descartar hospital de campanha em Passo Fundo.

A história dirá se a gestão municipal teve responsabilidade na perda de vidas por decisões erradas na área médica e também nos decretos que paralisaram a economia. A pandemia ainda renderá muitos estudos e pesquisas com apuração de dados que nem foram criados ainda. Por enquanto, há muita desinformação, controvérsia, especulação e economia parada, com uma crise que ainda enfrentará uma eleição no meio do caminho.

Saiba mais

Os dados foram compilados dos sites dedicados ao COVID-19 criados nos estados e prefeituras. Existem pequenas divergências em algumas fontes de dados quanto a número de casos, por conta de metodologias e aceites de determinadas marcas de testes. Acesse dados do Ceará, Paraná e Rio Grande do Sul (um dos melhores sites entre os estados).

O site da Prefeitura de Guarapuava mantém uma lista de documentos com informações diversas, de orientações para profissionais e população até compras e lista de decretos e condições para a abertura do comércio local.

Os valores de IDHM foram retirados do Atlas do Desenvolvimento Humano do Brasil.

Previous ArticleNext Article

Responder