O autoritarismo da campanha “Segunda sem Carne” à brasileira

Deputados paulistas aprovam lei que proíbe o fornecimento de carne em instituições públicas estaduais.

O movimento Segunda sem Carne foi criado nos EUA pelo marqueteiro Sid Lerner, em 2003. O meatless monday visava alertar a população sobre os malefícios do consumo de carne em excesso, como pressão alta, obesidade e câncer do intestino. No método, algo simples: deixar de comer carne nas segundas, diminuindo o consumo total do indivíduo e melhorando a saúde daqueles que comem em excesso. Em suma: uma campanha de saúde com um ótimo gancho de marketing (começar na segunda) e de cunho informativo.

Logo a campanha passou de informação dentro do âmbito da saúde pública para ferramenta do movimento vegano. Com foco no direito dos animais, o #segundasemcarne virou bandeira para denunciar toda a cadeia produtiva da carne bovina (na realidade, qualquer produto de origem animal). 

O projeto de Lei 87/2016, de autoria do deputado Feliciano Filho (PSD), institui o “Segunda sem Carne” no Estado, proibindo o fornecimento de carne nas segundas em todos os órgãos públicos estaduais, com pesada multa para quem desrespeitar o que manda a lei. 

O deputado e sua plataforma animal, bem declarada em sua página no Facebook.

A justificativa do projeto de lei usa a questão ambiental e saúde, mas logo entrega o jogo ao citar direitos dos animais e esparramar a narrativa vegana em diversos parágrafos. É mais do mesmo e o endosso dos deputados é uma afronta até mesmo para os pecuaristas paulistas. Agora está nas mãos de Geraldo Alckmin o poder de vetar (ou não) o Projeto.

Em Passo Fundo, já se falou em “segunda sem carne” através da então vereadora Cláudia Furlanetto (PT), em 2015. De forma mais branda, os PLs 50 e 54 tentaram emplacar, sem sucesso, dias para a discussão sobre o consumo. Não é de todo impossível que, incentivados pela movimentação paulista, vereadores passo-fundenses pensem em replicar a pataquada na capital do Planalto médio e terra do glorioso costelão do CTG Lalau Miranda, imagem em destaque neste texto.

Comeremos e seguiremos comendo.

 

Atualização: o Governador Geraldo Alckmin confirmou que vetará a Lei “Segunda sem Carne” em entrevista ao Canal Rural. O material também foi compartilhado em sua página no Facebook.

 

 

Previous ArticleNext Article

Responder