“Lula livre”, protesta Alex Necker na última Sessão Plenária

Alex Necker (PCdoB), na última Sessão do ano da Câmara de Vereadores de Passo Fundo, novamente volta a pedir por justiça no caso de Lula. Ocorre que, recentemente, o ministro do STF Marco Aurélio Mello determinou a soltura dos presos condenados em segunda instância. O ex-Presidente seria um dos beneficiados com a decisão, que em tempo foi derrubada por Dias Toffoli, atual presidente do Supremo. 

Na tribuna, Alex disse que o seu partido (PCdoB) havia entrado com Ação Direta de Constitucionalidade a respeito da presunção de inocência, ação que motivou o “canetaço” de Marco Aurélio. O vereador disse que a decisão restituiu as garantias previstas pela Constituição Federal Brasileira: “Com esta decisão se restabelece o Estado Democrático de Direito neste país“, disse. Em seguida pediu: “Lula livre“. Veja o vídeo abaixo:

A postura de Alex Necker foi imediatamente condenada pelos demais vereadores da Casa. Dalla Lana (PTB) rebateu o colega, dizendo que todo aquele que rouba dinheiro público deve ser severamente condenado pela Justiça, independentemente de quem seja: “Se roubou dinheiro do povo, que apodreça na cadeia“. Ao se referir a Lula e aos demais políticos, apontou: “Não são meros ladrões de galinhas. São pessoas que roubaram dinheiro da saúde, das crianças, dos adolescentes e dos pobres deste país“.

Luiz Miguel Scheis (PDT) fez uso do aparte para dizer que a decisão de Marco Aurélio colocou o Brasil de luto. “Eu, como policial, jamais vou admitir a petulância de um cara preso, de um cara condenado, na frente de uma juíza, perguntando para ela ‘o que eu fiz, o que eu devo?'”, ao se referir ao recente comportamento de Lula em audiência da Lava Jato em frente da juíza Gabriela Hardt. “Não é só o Lula. Serão traficantes, ladrões e estupradores soltos nas ruas, beneficiados pela decisão”. Para Scheis, as palavras “Lula livre”, na última Sessão do ano, é um grande absurdo, pois o ex-Presidente está no lugar onde deve estar: na cadeia. 

Tchequinho (PSB) também utilizou o aparte para dizer que o PT e o PCdoB são partidos apoiadores de ladrão e de estuprador. Para ele, a postura de Alex Necker em usar a tribuna para defender um condenado, condenar a soltura de bandido, é lamentável: “Isto é de revoltar o estômago de qualquer político de bem”, destacou. “Mas que vergonha, vereador Alex, pagando esse mico e deixando a nossa Câmara com vergonha”, criticou Tchequinho. 

Veja, abaixo, a fala dos vereadores Dalla Lana, Scheis e Tchequinho:

De volta à tribuna, Alex disse que defende aquilo que acredita e que acha melhor para a sociedade. Para o vereador, é natural da democracia as pessoas terem opiniões e posicionamentos diferentes – referindo-se aos demais colegas. “Comemoro a decisão de Marco Aurélio pois ela representa uma luz na defesa da Constituição Federal Brasileira“, destacou. Expressou que as prisões após decisão em segunda instância, antes mesmo de exaurirem todos os recursos, representa uma afronta e uma ilegalidade à Constituição: “Esta decisão [a de Marco Aurélio] é importante para restabelecer o Estado Democrático de Direito no Brasil, que vem seguidamente seja atacado”

Saul Spinelli (PSB) manifestou sua posição. Para o vereador, a decisão do STF não repercute apenas sobre os casos políticos, mas sobre os traficantes, os homicidas e os demais criminosos beneficiados por esse entendimento. Para ele, nenhum partido brasileiro pode bater no peito e se autodeclarar inocente, pois o sistema político como um todo é corrupto e a legislação proporciona isso: “Infelizmente estamos colhendo aquilo que plantamos“.

Previous ArticleNext Article

Responder