Resumo da Sessão Plenária de 03/07/2019

Veja, a seguir, os principais assuntos discutidos na Sessão Plenária do dia 03/07/2019 na Câmara de Vereadores de Passo Fundo.

Grande Expediente

Eloí da Costa (MDB) foi o Orador do Grande Expediente da Sessão. Meio ambiente, MDB e gestão do prefeito Luciano Azevedo foram os principais temas da sua fala.

Em primeiro, comentando a recente reunião do G-20 no Japão, Eloí comentou que o Brasil foi cobrado pelos demais líderes mundiais em relação ao desmatamento na Amazônia. Para ele, trata-se de um tema muito importante e deve ser uma das preocupações do atual Governo. Passo Fundo também precisa cuidar do tema, pois há um número significante de lixões irregulares na cidade (imagem). 

Sobre o MDB, seu partido, elogiou a atuação no cenário político, além do trabalho do vice-prefeito na cidade,  João Pedro Nunes, que pode ser um nome para as eleições em 2020. Para o vereador, trata-se do seu atual pré-candidato.

Por fim, sobre a gestão do atual prefeito, Luciano Azevedo, tratou de enaltecer os méritos com o trabalho realizado em Passo Fundo, muitas vezes injustiçado com o excesso de críticas nas redes sociais, segundo sua opinião.

Críticas aos vereadores

Valdo de Moraes (PSB) elogiou o trabalho desenvolvido pelo conjunto dos vereadores na cidade. Seguindo as palavras de Fernando Rigon (PSDB), que na última Sessão justificou muitas das críticas recebidas nas críticas e nas redes sociais, Valdo comentou que o povo está observando o que cada um faz e, portanto, todos aqueles que estão ali estão sendo reconhecidos pelo seu trabalho. 

Ainda, fez uma retrospectiva da sua viagem à Brasília na semana passada, acompanhado pelo vereador Rudi dos Santos (PCdoB), momento em que visitou uma série de parlamentares federais, falando sobre as demandas do município. 

Projeto habitacional

Paulo Neckle (MDB) criticou a postura da secretária de planejamento Ana Paula. Conforme relato, ela enviou funcionários do Executivo aos gabinetes dos vereadores para criticar o projeto de Neckle para construção de casas populares no bairro Jabuticabal com a ampliação do perímetro urbano. De acordo com o parlamentar, quem já possui seu imóvel e não paga aluguel é fácil criticar um projeto dessa envergadura. 

Pedidos ao Executivo

Roberto Gabriel Toson (PSD) voltou a falar do problema enfrentado por alguns parlamentares. Muitos estão sendo negligenciados pelo Poder Executivo. Na Sessão, apresentou em caso concreto que vem enfrentando (imagem) e não está sendo atendido pela secretaria responsável. O caso inclusive foi denunciado ao Ministério Público. 

Sergio Moro

Tchequinho (PSL) comentou o caso recente envolvendo o deputado federal Glauber Braga, do PSOL, que chamou o ministro Serio Moro de “ladrão” durante uma sessão na CCJ do Congresso Nacional. Para o vereador, é inaceitável que nos dias atuais uma pessoa bem seja caluniada dessa forma. De acordo com Tchequinho, Moro é um símbolo nacional de combate à corrupção. Além disso, conforme suas palavras, o deputado faz parte duma “safra de defensores de assassinos e estupradores” que estão no meio político.

Tributos municipais

Luiz Miguel (PDT) relatou que outro “presente de grego” chegou em regime de urgência na Câmara de Vereadores. Trata-se de PLC para alterar o regime de cobrança de multas e moras (e outros) sobre os tributos municipais. Para ele, trata-se de outra medida do Poder Executivo Municipal para prejudicar a vida dos contribuintes na cidade. Duas das alterações, na opinião do parlamentar, são altamente prejudiciais à população: uma delas impede que o parcelamento seja maior do que em 24 vezes nas execuções fiscais; a outra, este mesmo parcelamento só ocorrerá com depósito de 30% do valor. Para Scheis, o projeto precisa ser imediatamente retirado da Câmara. 

 

Previous ArticleNext Article

Responder