No seu Grande Expediente, Luiz Miguel critica fechamento da Codepas

No Grande Expediente desta segunda-feira (15), o vereador Luiz Miguel Scheis (PDT) mostrou-se indignado com a informação divulgada pelo Poder Executivo de que a Companhia de Desenvolvimento de Passo Fundo (Codepas) não participará da concorrência pública na cidade do novo sistema de transporte público.

Embora deficitária,  reiterou que não há justificativa para a Codepas deixar de existir como empresa de transporte público. Ainda, apontou que a Prefeitura gasta aproximadamente R$ 55 mil mensais com cargos de confiança na empresa; tais valores, para ele, poderia ser realocados para outras demandas. De acordo com o parlamentar, em 1996, já havia apontamentos do Tribunal de Contas do Estado sobre a empresa. 

Na presença de funcionários e representantes de movimentos sindicais, o parlamentar apontou que a ausência da empresa no processo licitatório do novo sistema de transporte público impacta diretamente no emprego de cerca de 150 pessoas. Para Luiz Miguel, embora muitos tenham divergências políticas, o momento é de união entre as partes.

Scheis criticou sobretudo o concurso realizado ainda neste ano, em abril de 2019. Para ele, não faz sentido o lançamento de edital para contratação se as autoridades tinham ciência da situação da empresa. Ainda, destacou que os candidatos que se inscreveram poderão buscar a Justiça para garantir os seus direitos, isso porque, nas palavras do vereador, “foi um verdadeiro estelionato” com os inscritos. 

Fazendo uso do aparte, o vereador Eloí Costa (MDB) disse que quer se reunir com o Prefeito para melhor compreender a situação, sobretudo o que o chefe do Poder Executivo pretende fazer com os funcionários da Codepas. 

Marcio Patussi (PDT) reforçou o apoio à causa. Para o vereador, embora esta gestão municipal tenha recebido a empresa com dívidas, mostra-se incapaz de gerir a situação. Também, destacou que há necessidade de uma reunião entre o Prefeito e os demais parlamentares na Câmara, e não a portas fechadas, para que o assunto seja tratado com maior transparência possível. De acordo com o site da Câmara de Vereadores:

O procurador-geral do município Adolfo Freitas, reiterou que pesou na ausência da companhia as sucessivas dificuldades financeiras, que há 12 anos registra prejuízos no transporte coletivo. Ele ainda reforçou que a Codepas não será fechada e que, neste momento, não haverá alterações das linhas e dos horários dos ônibus. O procurador-geral, na mesma entrevista, destacou que as soluções estão sendo discutidas entre a prefeitura, a empresa e o Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Coletivo de Passo Fundo (Sindiurb).

Ainda, nesse mesmo sentido:

A saída não será imediata, mas dependerá do andamento do processo licitatório, segundo palavra do prefeito Luciano Azevedo sobre o assunto em recente manifestação. Ele destacou que várias alternativas vêm sendo discutidas para o aproveitamento dos mais de 130 trabalhadores da empresa.

Luiz Miguel garantiu, no final da sua fala, que se valerá de “todas as artimanhas possíveis” para evitar o fechamento da Codepas. 

Vídeo do Grande Expediente

Previous ArticleNext Article

Responder