Diárias: veja quanto os vereadores de Passo Fundo gastaram em 2018

Diárias

 

Excursões para pedir dinheiro em Brasília ou Porto Alegre, resolução de problemas da base eleitoral e até mesmo questões sindicais estão entre os motivos para viagens e retirada de diárias

Os vereadores tiveram destaque na solicitação e recebimentos de diárias em Passo Fundo, no ano de 2018. Os cinco primeiros do ranking (Pedro Antônio Daneli, Rafael Luis Colussi, Rudimar dos Santos, Patric Cavalcanti e Luiz Miguel Scheis) ultrapassaram até mesmo o Prefeito em valores recebidos.

O líder, Pedro Daneli, adicionou um salário a mais (e mais um pouco) na conta bancária durante o ano. Com um total de R$ 13.198,31, ficou em primeiro lugar não só entre os vereadores, mas entre todos os funcionários do legislativo e do executivo listados como beneficiários em 2018.

 

Valores retirados em diárias: 13 vereadores retiraram dinheiro para viajar em 2018. Os dados são da transparência municipal. Cinco deles ultrapassaram o prefeito, que retirou R$ 4872,00.

Quando alguém na Prefeitura ou na Câmara de Vereadores viaja, tem direito a diária (o assunto já foi tratado aqui na Lócus, relembre), valor independente do deslocamento por carro (viagens no RS) ou avião e hospedagem. Se o viajante ir até a capital e voltar, consumindo apenas um lanche no Restaurante Rosinha, mesmo assim embolsará o valor integral da diária solicitada. Vale lembrar que algumas viagens ainda geram diárias para o motorista responsável por levar o solicitante até o destino.

Viagens realizadas, mês a mês, pelos vereadores.

É claro que alguns vereadores realizam viagens, especialmente até a Capital, com o carro próprio, sem solicitar e receber diárias. É uma questão de escolha e filosofia sobre o uso do dinheiro público.

O site da Câmara mantém uma lista de documentos que mostram as solicitações de valores para viagem (juntamente com a justificativa), relatórios bem básicos sobre o que realizaram (pra falar a verdade, o que chamam de relatório de viagem muitas vezes repete o texto da solicitação) e os pagamentos são listados no sistema de transparência da prefeitura de Passo Fundo.

Entre os motivos, destacam-se as tradicionais viagens para Brasília ou Porto Alegre para “acompanhamento de demandas” ou liberação de emendas parlamentares, acompanhamento do Prefeito e encontros com deputados. Uma das viagens do vereador Pedro Daneli espanta: ele declarou ter ido a Porto Alegre em 24 de maio para fazer uma reunião com a deputada “Ana Ortiz” e tratar de “assuntos pertinentes às privatizações na SINERGISUL”, entidade sindical que representa os eletricitários gaúchos e que luta abertamente contra a privatização das estatais. O Vereador também é suplente de delegado da entidade em Passo Fundo.

Em 2018, foram pagos R$ 301.243,65 em diárias, para 276 solicitantes na Prefeitura e na Câmara, sendo R$ 51 mil destinado aos 13 vereadores solicitantes (sem contar os motoristas, quando usados). É complicado para o cidadão acompanhar o processo de solicitação até a prestação de contas de cada viagem, pois o sistema adotado pela casa é bem enxuto nas satisfações, muito pouco além do “viagem para tratar assuntos pertinentes”. É preciso melhorar, em nome da real transparência.

Previous ArticleNext Article

Responder