Luciano Azevedo apresenta dados falsos em evento promovido pela CDL

Recentemente, o prefeito de Passo Fundo, Luciano Azevedo (PSB), proferiu palestra na Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) do Município, apresentando a evolução de alguns indicadores econômicos, sociais, educacionais e de facilidade para negócios da cidade ao longo dos últimos anos.

Diante de tantas informações, oferecemos aos leitores do Lócus Online a possibilidade de realizar um fact-checking, ou seja, a investigação da veracidade das informações, confrontando-as com as bases de dados oficiais. Tomamos como base os conteúdos reproduzidos no site da prefeitura de Passo Fundo, de forma oficial, e da própria CDL, uma vez que os slides não foram disponibilizados ao público.

ECONOMIA

1º) PIB do município entre 2013 e 2016 passou de R$ 3,9 bilhões para R$ 9,4 bilhões.

É fake!

Partindo do pressuposto de que os dados estão corretos, a variação acumulada no período seria de 141,0%. Devemos lembrar que esse cálculo corresponde ao conceito nominal, ou seja, os valores incorporam o aumento do nível geral de preços (inflação). Todavia, pela magnitude do crescimento, fica muito claro de que se trata de algo irreal: somente cidades com PIB muito pequeno conseguem atingir taxas tão altas, uma vez que a base de comparação é diminuta.

Quando consultamos as Contas Regionais do Brasil, do IBGE, vemos que os números de Passo Fundo são totalmente diferentes, conforme o gráfico abaixo. No mesmo período apresentado pelo Prefeito, o PIB do município passou de R$ 7,23 bilhões em 2013 para R$ 8,40 bilhões em 2016, ou seja, uma alta acumulada nominal de apenas 16,1%. Entre as maiores economias do estado do Rio Grande do Sul, Canoas registrou o maior incremento nesse ínterim: +74,7%.

PIB do município de Passo Fundo – Em R$ bilhões nominais

Fonte: IBGE / Contas Regionais do Brasil (tabela 5938 do Sistema IBGE de Recuperação Automática – SIDRA).

2º) PIB per capita de Passo Fundo é de R$ 36.928,90.

Atenção!

Tomando como verdadeiro os números comentados pelo Prefeito – PIB de R$ 9,4 bilhões e PIB per capita de R$ 36.928,90 – a população do Município, para que a conta feche, é de 254.543 pessoas. Contudo, esse valor difere muito da estimativa calculada pelo IBGE para o total de habitantes em primeiro de agosto de 2016: 197.798. Se aplicarmos a definição de PIB per capita utilizando as estatísticas do PIB e da estimativa da população, ambas do IBGE, chegaremos a um valor inclusive maior do que o apresentado originalmente em 2016: R$ 42.459,60.

3º) Passo Fundo tem a sexta maior economia do RS

Correto!

Passo Fundo ficou em sexto lugar no ranking das maiores economias do Rio Grande do Sul em 2016 (último dado disponível), atrás de Porto Alegre (R$ 73,4 bilhões), Caxias do Sul (R$ 21,1 bilhões), Canoas (R$ 19,5 bilhões), Gravataí (R$ 10,0 bilhões) e Novo Hamburgo (R$ 8,6 bilhões). Todas as informações são do IBGE, oriundas das Contas Regionais do Brasil.

4º) A geração líquida de emprego em Passo Fundo em novembro de 2018 foi de 1.129 empregos

É fake!

Em novembro de 2018, Passo Fundo gerou, em termos líquidos, 548 empregos formais, de acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED). Vale lembrar que o número já leva em consideração as declarações fora do prazo. No ano passado, o saldo fechou no azul (+1.192), bem como em 2017 (+926). No entanto, as demissões superaram as contratações nos anos de 2015 (-1.220) e 2016 (-709), marcados pela gravíssima crise econômica que atingiu o Rio Grande do Sul e o Brasil.

SAÚDE E LONGEVIDADE:

5º) O Índice de Desenvolvimento Urbano para Longevidade (IDL) é superior ao de Caxias, Pelotas e Santa Maria.

Atenção!

Ainda que o ordenamento esteja correto, de acordo com o Instituto de Longevidade Mongeral Aegon, é necessário ter muito cuidado com a metodologia adotada por essa ONG. Em artigo publicado sobre o tema ainda em 2017, o colunista da Lócus Online, Jesael da Silva, desmentiu o próprio instituto que citava Passo Fundo “como a número 1 entre as cidades do Rio Grande do Sul para ‘envelhecer com mais saúde’”.

6º) Mortalidade infantil alcançou 8,9

É fake!

Conforme já abordado nesse texto, Passo Fundo registrou 26 óbitos infantis em 2016 (último dado disponível) para um total de 2.876 nascimentos. Isso representa 9,04 mortes de crianças a cada 1.000 nascimentos, segundo o Ministério da Saúde. Trata-se, portanto, de um número superior ao apresentado pelo prefeito.

EDUCAÇÃO:

7º) Taxa de analfabetismo de Passo Fundo é de 3,3%, inferior a de Pelotas (4,2%)

Correto, mas atenção!

O Censo Demográfico, conduzido pelo IBGE, mostra exatamente esses valores. No entanto, é importante lembrar que o último levantamento é de 2010, ou seja, se trata de uma estatística que nada diz respeito aos efeitos de políticas do prefeito Luciano, que tomou posse a partir de 2013.

CONCLUSÃO:

Como pudemos ver ao longo do texto, muitas das informações checadas não são verdadeiras, enquanto outras estão de acordo com as bases oficiais. É dever de qualquer autoridade pública apresentar os resultados de sua administração de maneira fidedigna, sejam eles bons ou ruins. Dessa forma, a população tem subsídios possa realizar suas avaliações com discernimento, impedindo a ocorrência de estelionatos eleitorais, tão nocivos à democracia representativa.

Previous ArticleNext Article

Responder