Entre em contato

Passo Fundo

Resumo da Sessão Plenária de 16/11/2019

Publicado

on

A seguir, os destaques da Sessão Plenária desta segunda-feira (16) na Câmara de Vereadores de Passo Fundo.

Grande Expediente

Luiz Miguel Scheis (PDT) homenageou o cemitério e crematório Memorial Vera Cruz de Passo Fundo, e os seus fundadores com o diploma de Honra ao Mérito, pelos serviços prestados a toda a comunidade passo-fundense.

O Memorial Vera Cruz nasceu de uma ideia do médico Dalvino Badotti, que buscava criar um espaço para o sepultamento de sua esposa Marizete Alves Badotti. O projeto do Memorial tornou-se realidade após a sociedade firmada com o engenheiro Jorge Brol, responsável por executar a obra. Após o falecimento do médico, o filho mais velho do casal, Felipe Badotti, assumiu a administração do local. O espaço tem mais de 12 mil metros quadrados, conta com 37 postos de trabalho.

IPTU

Parlamentares estão denunciando o aumento exacerbado dos carnês do IPTU em Passo Fundo. Rufa (PP) mostrou alguns já recebidos. Tchequinho (PSL) disse que irá lançar a campanha “Não pague o IPTU”.

Regularização fundiária urbana

Rejeitado o Veto total ao PL 13/2019, que dispõe sobre a regularização fundiária urbana no município de Passo Fundo. O projeto originário é de autoria do gabinete do vereador Patric Cavalcanti (DEM).

De acordo com a justificativa do veto, o Município de Passo Fundo possui competência para legislar em duas hipóteses: em matérias de interesse local e para suplementar a legislação federal ou estadual, bem como promover o adequado ordenamento territorial, mediante planejamento e controle do uso, do parcelamento e da ocupação do solo urbano de acordo com o que determina o art. 30, inciso II e VIII da Constituição Federal. Neste caso, a presente matéria versa sobre ordenamento do uso do solo e, de acordo com o Estatuto das Cidades, bem como os permissivos constitucionais compete aos Municípios planejar e executar as políticas de desenvolvimento urbano. Portanto, trata-se de competência municipal o planejamento adequado da ocupação territorial do município.  Para o Poder Executivo Municipal, portanto, o projeto apresenta vício de iniciativa, pois invade a esfera de iniciativa privativa do Prefeito, quando cria formas e critérios de regularização fundiária, interferindo na organização pessoal e infraestrutura, cuja competência é privativa do Prefeito, acabando, assim, ferindo a harmonia e independência dos poderes.

Como o veto foi rejeitado, o projeto passa a vigorar como lei.

Programa Municipal de Incentivo à Segurança Pública

Rejeitado o Veto total ao PL 82/2019, que cria o Programa Municipal de Incentivo à Segurança Pública, de autoria do vereador Marcio Patussi (PDT).

De acordo com a justificativa do veto: “Muito embora o objeto seja de relevante interesse público, o presente projeto apresenta vício de iniciativa, pois invade a esfera de iniciativa privativa do Prefeito, quando ao estabelecer as formas de participação mediante compensação do ISS Imposto Sobre Serviços, cria atribuições aos órgãos da administração pública municipal, interferindo na organização pessoal e infraestrutura, cuja competência é privativa do Prefeito”.

Como o veto foi rejeitado, o projeto passa a vigorar como lei.

Para maiores detalhes sobre o teor do projeto, veja: Resumo da Sessão Plenária de 21/10/2019

Parcelamento do solo urbano

Aprovado o PLC 15/2019, de autoria do gabinete do vereador Pedro Danelli (Cidadania), com objetivo de alterar o § 2º do art. 82 da Lei Complementar n. 230, de 07 de outubro de 2009, que dispõe sobre o parcelamento do solo urbano no município de Passo Fundo, que passa a vigorar com a seguinte redação:

Art. 82. Os condomínios urbanísticos deverão ser constituídos em consonância com o disposto nesta lei.

§1º (…)

§2º Serão permitidos condomínios urbanísticos com área superior ao previsto no parágrafo primeiro nas Zonas de Produção Urbana (ZPU), Zonas de Ocupação Extensiva (ZE), Zonas de Proteção dos Recursos Hídricos (ZPRH), Zonas de Proteção da Mata Nativa (ZPMN), Zona de Uso Especial (ZUE), Zona Residencial Um (ZR1) e Zonas Especias de Interesse Social (ZEIS), estabelecidas conforme Lei Complementar nº 170/06, mediante parecer favorável do órgão ou ente responsável pelo planejamento. (NR)

Conforme consta na justificativa: “Esta inclusão objetiva flexibilizar a dimensão das glebas onde serão realizadas este tipo de parcelamento do solo, ou seja, em Zonas Especiais de Interesse Social, permitindo, dessa maneira, a implantação de um maior número de unidades autônomas em um mesmo empreendimento, dando maior viabilidade aos condomínios urbanísticos e aos condomínios conjugados com a edificação e, ao mesmo tempo, possibilitando a fixação de menores taxas condominiais a serem pagas pelos futuros moradores.”

Bens dominicais

Aprovado o PL 81/2019, de autoria do Poder Executivo Municipal, que acrescenta o §3º ao artigo 1º da Lei Municipal n.º 5.280, de 02 de outubro de 2017, que autoriza a permuta de imóvel público municipal por imóvel de propriedade de Daniela Hoffmann Zambenedetti, ambos localizados na vila Jerônimo Coelho. O imóvel público descrito fica desafetado de sua destinação inicial, passando a integrar a categoria de bens dominicais.

Ensino

Aprovado o Substitutivo 01 ao PL 91/2019, de autoria do gabinete do vereador Pedro Daneli (Cidadania), que que dispõe sobre a prioridade de matrícula do educando com deficiência locomotora em Escola Pública da Rede Municipal de Ensino mais próxima a sua residência.

Consta na justificativa: “A presente alteração proposta é para abranger todos os educandos que possuem qualquer tipo de necessidade especial, bem como limitação de ordem física ou mental enquadrada como deficiência nos termos da lei. Tal alteração justifica-se, ainda, com vistas a garantir o acesso dos educandos com necessidades especiais às Instituições de Ensino da Rede Municipal de Passo Fundo, com a maior proximidade possível de suas residências, facilitando, assim, o acesso e a frequência desses alunos nas respectivas escolas.”

Rua Pampeiro

Aprovado o PL 100/2019, de autoria do gabinete do vereador Paulo Neckle (MDB), que revoga a Lei 4.979, de 03 de janeiro de 2013, que ” Regulariza o Beco da Olaria que passa a chamar-se Rua Pampeiro, localizada no Loteamento Copacabana no Bairro São Cristovão”.

De acordo com a justificativa: “Chegou ao conhecimento deste Gabinete que o local atualmente denominado de ‘Rua Pampeiro’, no Bairro São Cristovão, não consta como área pública. Quando da edição da Lei 4.979/2013, houve equívoco quanto ao número da matrícula e a localização da área, que é particular.”

Concessão de uso de bem imóvel público

Aprovado o PL 102/2019, de autoria do Poder Executivo Municipal, que autoriza o Poder Executivo a celebrar contrato de concessão de uso de bem imóvel público com grupo cultural e tradicionalista Cavaleiros do Planalto Médio.

Na área pretendida localiza-se o Galpão Adão Nascimento, onde se realizam as atividades artísticas de chula, trovas, declamações, dentre outras, durante o tradicional Rodeio Internacional. Assim, a Associação compromete-se em possibilitar a continuidade da realização dessas atividades artísticas durante o Rodeio.

Passo Fundo

Passo Fundo precisa agora de um Conselho Municipal de Habitação Popular?

Publicado

on

Proposta dos vereadores Luizinho Valendorf (PSDB) e Wilson Lill (PSB) quer reativar o Conselho Municipal de Habitação Popular. Na prática, sabemos o que vem pela frente…

 

Continue Lendo

Passo Fundo

Vereadores aprovam projeto de inclusão que vai onerar empresários e setor público

Publicado

on

Projeto de autoria da vereadora Regina dos Santos (PDT) estabelece a inserção de senhas sonoras, letras ampliadas e impressão em braile simultaneamente às senhas eletrônicas utilizadas para atendimento ao público nos estabelecimentos públicos e privados do município

As pautas de inclusão sempre aparecem travestidas de “movimento democrático”, no sentido de ampliar os direitos e garantias para a parcela da população. No entanto, é preciso estar atento: na maior parte das vezes, os projetos pouco modificam a realidade desses grupos, pois não passam de ativismo político travestido de políticas públicas. O projeto recentemente aprovado por unanimidade entre os parlamentares na Câmara de Vereadores de Passo Fundo é uma amostra disso.

O Projeto de Lei nº 105/2021, de autoria da vereadora Regina dos Santos (PDT), estabelece a inserção de senhas sonoras, letras ampliadas e impressão em braile simultaneamente às senhas eletrônicas utilizadas para atendimento ao público nos estabelecimentos públicos e privados do município.

De acordo com a justificativa, a proposta foi construída pela “necessidade de tornar a cidade mais inclusiva e atender aos direitos das pessoas com deficiência”. Nota-se, na própria justificativa do projeto, que os termos utilizados uníssonos nas pautas inclusivas, mas demasiadamente generalista. Quando se quer resolver tudo, na prática não ocorre – ou muito pouco.

O texto da matéria ainda determina para os estabelecimentos públicos e privados que não optarem pela impressão de senhas em braile deverão implantar a senha com aviso sonoro por voz ou identificar, além de disponibilizar um atendente exclusivo enquanto a pessoa com deficiência ou limitação visual estiver no recinto. Parece que os parlamentares desconhecem o comércio da própria cidade, possivelmente a maior parte sendo gerida pelo dono – ou por poucos funcionários. A obrigação, portanto, está fora da realidade.

Embora alguns tenham se posicionado contrário a uma possível oneração do setor empresarial, sobretudo numa economia em fase de recuperação, no voto os parlamentares acabam cedendo: pautas inclusivas ganham um sim até mesmo quando o vereador é, no fundo, contra.

Segundo previsto na redação do art. 3º, o descumprimento ao que dispõe a presente Lei pelos estabelecimentos sujeitará aos infratores às seguintes sanções: I – advertência, em caso de primeira notificação; II – multa de 100 (cem) UFMs (Unidades Fiscais Municipal) em caso de segunda notificação; III – multa de 200 (duzentas) UFMs (Unidades Fiscais Municipal) em caso de reincidência. As sanções pecuniárias decorrentes desta Lei serão aplicadas em favor de políticas públicas para as pessoas com deficiência.

Se o prefeito não vetar a proposta, a proposição entra em vigor 180 (cento e oitenta) dias contados da data de sua publicação.

A discussão pode ser acompanhada no vídeo a seguir (11:53-28:25):

Continue Lendo

Passo Fundo

A narrativa da fome: até quando a esquerda vai alimentar pautas com dados dissimulados

Publicado

on

Se por muito tempo a dinâmica de luta de classes foi o eixo do pensamento esquerdista, a forma agora aparece em diferentes contornos. Direitos de minorias, invasões urbanas e outras aparecem com frequência nas pautas. No entanto, uma delas tem aparecido com forma nos últimos tempos: a fome.

No artigo “O golpe petista da fome em Passo Fundo“, o articulista da Lócus Jesael Duarte da Silva mostrou como o discurso da fome vem ganhando espaço aqui mesmo em Passo Fundo. recentemente, foi criada a Frente Parlamentar de Combate à Fome na Câmara de Vereadores de Passo Fundo.

Contrastando a informação fornecida pelo vereador petista de que, no Brasil, 119 milhões de brasileiros vivem em situação de insegurança alimentar, Rodinei Candeia (PL) buscou a fonte dessa narrativa, já que vem sendo reverberada pela imprensa de uma maneira geral. Veja:

Continue Lendo

Assine nossa newsletter

* indicates required

Mais Acessados

Copyright © 2021. Lócus Online.